Próstata Aumentada (HPB) pode virar Câncer de Próstata? Veja as diferenças!

Quando começa a campanha "Novembro Azul", muitas instituições decoram suas propagandas ou fachadas com essa cor, mas será que você entende bem o que essa campanha significa? Se você já respondeu que é sobre o combate ao Câncer de Próstata, parabéns! Sua resposta está correta. Mas existem ainda outras dúvidas sobre a relação entre Câncer de Próstata e Hiperplasia Prostática Benigna (HPB). Será que é a mesma coisa? No informativo de Novembro, iremos entender as diferenças e alternativas de fitoterápicos para tratamento e prevenção de ambas. Vamos lá?

Se você já quiser saber quais são os fitoterápicos usados para Próstata Aumentada HPB, clique aqui!

E se quiser saber quais são os fitoterápicos usados para Câncer de Próstata, clique aqui!

 

Afinal, o que é essa tal da Próstata?

A Próstata é uma glândula presente somente no organismo masculino. É uma glândula pequena, que pode ter o tamanho de uma noz quando o homem é jovem. Ela fica abaixo da bexiga, anterior ao reto, e faz parte do sistema reprodutivo. Para dar uma dimensão mais exata de onde essa glândula está e qual é o seu papel, imagine-a envolta de uma parte da uretra: aquele canal que carrega a urina e o sêmen pelo pênis para fora do corpo. A próstata é responsável por adicionar fluidos ao sêmen, como:

Secreção alcalina — Protege espermatozóides no meio ácido, por exemplo na vagina.

PSA (antígeno prostático específico) — Liquefaz o sêmen e confere maior motilidade aos espermatozóides.

O PSA pode ser avaliado em exames, tornando-se uma ferramenta importante para detectar alterações na próstata, incluindo o câncer.

Ao entendermos melhor onde está a próstata e qual é sua função, fica mais fácil compreender o que é a Hiperplasia Prostática Benigna e o Câncer de Próstata.

O que é a Próstata Aumentada (HPB)?

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, a Próstata Aumentada ou Hiperplasia Prostática Benigna, NÃO é um tipo de câncer e não há evidências que indiquem que ela cause câncer. Trata-se de um aumento da próstata, uma glândula no sistema genital masculino — conforme mencionamos antes. O próprio nome desta condição já serve para esclarecer que, embora seja algo incômodo, não é tão alarmante quanto um câncer.

É uma hiperplasia, ou seja, um aumento do número de células e, por consequência, o aumento do tamanho da estrutura afetada — no caso, a próstata. E sendo benigna, não ocorrerá a metástase, ou seja, não irá se espalhar por outros tecidos ou órgãos.

Quais são as causas da Próstata Aumentada (HPB)?

Não existe uma causa única e exata para HPB, mas uma soma de fatores ajudam a esclarecer a condição:

 

Mas de modo geral, o envelhecimento, a predisposição genética e os hormônios são os principais fatores que levam ao desenvolvimento da HPB. A taxa de incidência desta condição em homens entre 40 e 49 anos chega a 25%; em homens entre 70 e 80 anos, a taxa pode atingir 80%.

É importante reforçar que atividades sexuais e vasectomia NÃO causam o aumento da próstata.

 

Quais são os sintomas da Próstata Aumentada (HPB)?

Os sintomas da HPB são bem desconfortáveis, podendo abranger:

Quais são as complicações da Próstata Aumentada (HPB)?

Por mais que a HPB não resulte em complicações tão graves, os problemas decorrentes desta condição sem tratamento podem se agravar e trazer prejuízos preocupantes para a saúde. Confira:

 

Essas complicações não são tão usuais, pois os sintomas desconfortáveis da HPB já estimulam o paciente a buscar ajuda. Entretanto, fica aqui o lembrete de prestar atenção na sua saúde sempre, ainda mais a partir dos 40 anos, pois o diagnóstico precoce significa maiores chances de resolver essa condição sem a necessidade de intervenções invasivas.

 

O que a Próstata Aumentada (HPB) NÃO causa?

Impotência — A HPB não impacta os mecanismos responsáveis pela ereção do pênis, que não são afetados pelo aumento da próstata. Pode, no entanto, gerar algum tipo de desconforto na atividade sexual dependendo do quanto a próstata aumentou.

Câncer — Conforme mencionado antes, a HPB não é a mesma coisa que o câncer e não gera metástase. É uma condição que merece cuidados, mas não é necessário se alarmar na mesma proporção do que a possibilidade de câncer. É por isso que se chama Hiperplasia Prostática Benigna, e não maligna.

 

Diagnóstico da Próstata Aumentada (HPB)

É fácil suspeitar da HPB quando pensamos na faixa etária do paciente e os sintomas relatados. No entanto, ao sentir esses incômodos mencionados, é importante consultar um profissional da saúde para um diagnóstico preciso. Sempre procure um urologista! E para você já saber como é feito esse diagnóstico, veja abaixo:

É possível se prevenir contra a Próstata Aumentada (HPB)?

Assim como certas condições favorecem a probabilidade do surgimento de HPB, algumas atitudes podem ajudar na prevenção! Adotar uma vida saudável é uma recomendação sempre muito bem-vinda, que pode evitar o desenvolvimento de diabetes, obesidade e alterações hormonais — que, por sua vez, são três fatores de risco a mais para HPB.

Quando você tem uma vida mais saudável, torna-se mais provável que o seu corpo tenha a capacidade de responder positivamente aos problemas que surgem com a idade.

E é importante lembrar dos exames a partir dos 40 anos! Além de servir para detectar a HPB, o exame de toque retal ajuda no diagnóstico precoce de câncer de próstata. O procedimento é rápido, não dói e não acarreta riscos à saúde. Não vá esquecer!

 

Tratamentos convencionais da Próstata Aumentada (HPB)

O tratamento da HPB depende do quadro do paciente, indo do tratamento mais simples ao mais complexo de acordo com a hiperplasia e os incômodos sentidos.

Tudo isso deverá ser avaliado junto com seu médico, pois o uso de certos medicamentos pode trazer efeitos colaterais indesejados, como diminuição de libido e disfunção erétil. Converse com urologistas sobre medicamentos possíveis que sejam adequados ao seu caso.

 

Plantas para o tratamento de Próstata Aumentada (HPB)

Felizmente, existem tratamentos mais naturais para você cuidar da próstata! É sempre bom conversar com profissionais da saúde antes de decidir por um deles, porque seu quadro de saúde deve ser levado em consideração. Mas para quem busca aliados na natureza, há opções!

Óleo de Semente de Abóbora — Possui muitos benefícios para a saúde masculina, principalmente nos cuidados com a próstata. Vem sendo indicada para minimizar os efeitos da HPB quando a hiperplasia é induzida pela testosterona. (ver produto)

Sabal (Saw Palmetto) — Além da atividade anti-inflamatória, o Sabal consegue inibir a transformação de testosterona em DHT (forma mais bioativa de testosterona), que é também um hormônio relacionado ao aumento da próstata. Assim, ele é utilizado para diminuição da próstata aumentada. (ver produto)

Pygeum africanum — Apresenta ação anti-inflamatória e reduz níveis de hormônios relacionados a HPB, favorecendo a diminuição dela. Também melhora a impotência e a fertilidade masculina. (ver produto)

Urtiga (associada ao Sabal) — A combinação dessas duas plantas têm ação potencializada em quadros de HPB em que há sintomas desconfortáveis no trato urinário, pois a Urtiga favorece o fluxo urinário e esvaziamento da bexiga; enquanto o Sabal irá atuar diminuição da próstata inchada. (ver produto)

Cavalinha — Conhecida como uma planta diurética, a Cavalinha também pode ajudar no tratamento de HPB por sua ação adstringente no sistema genital urinário (ácido salicílico e silicatos na composição da planta) e também por ter efeito anti-inflamatório. Esses fatores tornam a Cavalinha uma aliada na desinflamação prostática. (ver produto)

O que é o Câncer de Próstata?

Diferente da Próstata Aumentada (HPB), o Câncer de Próstata é considerado uma neoplasia maligna, ou seja: trata-se do crescimento desordenado de células anormais dentro do organismo a partir de um determinado ponto — órgão, glândula, tecido…

Caso não seja tratado, entra em metástase e afeta outras partes do corpo e o paciente pode vir, no pior dos casos, a falecer.

Abordar o tema de câncer é sempre muito delicado, principalmente porque é um assunto que traz medo e dor. Antes de tudo, vamos lembrar que entender sobre o câncer traz maior segurança para lidar com ele, seja para se prevenir ou tratar. Quanto mais compreendemos sobre esse tipo de doença (embora existam tipos e graus de câncer diferentes), nos tornamos mais capazes de dialogar com profissionais da saúde sobre qual é a melhor alternativa para o caso.

Mesmo que você tenha receio da possibilidade de desenvolver câncer, procure entender mais sobre o assunto e cuidar bem da sua saúde, principalmente conforme você envelhece. O diagnóstico precoce é muito importante para garantir sua qualidade de vida e longevidade!

O Câncer de Próstata, conforme o nome diz, atinge a próstata, embora em uma zona diferente do que a HPB. É o segundo tipo de tumor que mais acomete os homens, segundo o INCA. Possui certas diferenças e semelhanças com a HPB, conforme veremos a seguir.

Quais são as causas do Câncer de Próstata?

Câncer não possui uma causa única. De maneira geral, podemos classificar as causas da seguinte forma:

Causas externas — Estão no meio ambiente e favorecem o desenvolvimento de câncer. Já que entendemos o câncer como crescimento desordenado de células anormais no corpo, sabemos que existem fatores externos que podem ajudar a estrutura genética das células a manter sua integridade ou não. Por exemplo, o ambiente e a presença de poluição; o ambiente de trabalho e substâncias químicas, níveis de periculosidade; consumo de alimentos de boa qualidade ou não... Portanto, é possível compreender que são elementos que favorecem a probabilidade a longo prazo, mas que não vão te fazer desenvolver câncer necessariamente.

Causas internas — Mutação genética hereditária (são casos específicos e correspondem a 10% dos casos, segundo American Cancer Society) e o envelhecimento natural do corpo, que torna o nosso organismo mais vulnerável.

A menos que você seja exposto a um acidente radioativo, é improvável que um episódio único seja a causa exclusiva de câncer. E mesmo em acidentes radioativos, é difícil prever o tipo de câncer que o corpo vai desenvolver. Chernobyl foi associado com notificações de câncer de tireóide, por exemplo.

Assim como na HPB, existem fatores que favorecem o desenvolvimento de Câncer de Próstata. Veja abaixo:

Pacientes com mais de 65 anos são os mais atingidos, correspondendo a 75% dos casos no mundo inteiro, segundo o INCA. Optar por uma qualidade de vida melhor e hábitos saudáveis diminuem os riscos de câncer e outras doenças. No entanto, ainda é importante lembrar que o câncer é complexo e ninguém deve sentir-se culpado pelo diagnóstico.

 

Quais são os sintomas do Câncer de Próstata?

O Câncer de Próstata é mais silencioso, inicialmente assintomático. A evolução é lenta e, quando os sintomas se manifestam, é provável que o câncer já esteja em fase avançada e agressiva. Apesar das diferenças, existem sintomas que se assemelham com sintomas de HPB:

 

Quais são as complicações do Câncer de Próstata?

Como os sintomas aparecem já em fases avançadas do câncer, certas complicações são mais evidentes quando a gravidade é alta: dores, infecções e, dependendo do quadro da doença e insucesso do tratamento, óbito.

 

Diagnóstico do Câncer de Próstata

O diagnóstico é feito através de certos exames também realizados na suspeita de HPB. Justamente porque são condições que aparecem na próstata, é necessário cuidado para diferenciar uma condição da outra! E sempre que possível, a detecção precoce é importante para um tratamento rápido.

É importante que a idade e o histórico familiar sejam considerados! Assim, pessoas mais velhas já conseguem manter a atenção na saúde e buscar atendimento médico, com ênfase na detecção precoce. É por isso que campanhas de sensibilização e conscientização são tão importantes: elas servem de estímulo para a população cuidar de si e lutam pelo acesso a um sistema de saúde eficaz.

Vamos falar também sobre o rastreamento e os resultados destes exames.

Tanto HPB quanto Câncer de Próstata podem causar alterações nos níveis de PSA, embora em níveis diferentes. E também existe a possibilidade de resultados imprecisos ou que não seja confirmado se o tumor é, de fato, agressivo. Alguns demoram anos para se manifestar.

E o que fazer depois do diagnóstico?

Primeiro, é necessário lembrar das particularidades de cada paciente e cada caso. É possível que alguém descubra um tumor do qual não é possível prever a velocidade que se desenvolverá. Mas esse paciente ficará confortável em saber que tem um tumor sem tratamento?

Há a possibilidade de realizar o sobretratamento (tratamento de um câncer que não necessariamente se desenvolverá), mas existem também efeitos colaterais nessa escolha.

Pacientes e médicos de confiança devem discutir se o tratamento imediato é necessário, ou se é melhor aguardar — lembrando que isso se chama conduta expectante ou vigilância ativa, em que não são feitos tratamentos invasivos, mas exames são realizados com periodicidade para conferir o avanço ou estagnação do quadro.

O benefício é a preservação da qualidade de vida do paciente, já que há casos em que o crescimento do tumor é tão lento que pode nunca apresentar um real problema durante a vida do paciente. A desvantagem é a possibilidade da perda da oportunidade ideal para intervenção, pois a evolução de uma neoplasia não é exata. Outro fato fundamental a ser discutido é a disciplina do paciente para voltar a realizar os exames, pois a situação exige um grande compromisso entre paciente e equipe médica.

Geralmente, a conduta expectante é a opção para:

 

Para aumentar a precisão do diagnóstico, é feito o estudo histopatológico do tecido coletado pela biópsia. O resultado desse estudo enquadra o câncer dentro de uma escala: a graduação histológica do sistema de Gleason. As células do câncer são microscópicamente comparadas a células prostáticas saudáveis e, quanto mais diferentes essas células cancerosas forem, mais agressivo é o tipo de câncer. Quanto menos diferenças houverem, menor será o grau de agressividade e velocidade de disseminação do câncer.

 

Tratamentos convencionais do Câncer de Próstata

Todo tratamento deverá passar por uma discussão entre pacientes e médicos, justamente para avaliar os benefícios, os recursos disponíveis, os efeitos colaterais e o quadro individual da doença. De maneira geral, podemos pensar nos seguintes tratamentos:

É possível se prevenir contra o Câncer de Próstata?

A resposta para isso é muito semelhante à que demos sobre a possibilidade de prevenção à HPB: Uma vida saudável, longe de fatores externos que favoreçam o câncer (poluição, substâncias nocivas…), melhora a resposta do nosso corpo frente à diversos problemas de saúde; já que a alimentação equilibrada e bons hábitos nos ajudam a evitar diversas doenças crônicas.

E para explicar um pouco mais sobre a importância da alimentação, vamos retomar algumas informações básicas sobre o câncer: Lembra que mencionamos que são células anormais em proliferação desordenada e que existem fatores que podem favorecer (ou desestimular) a integridade das células?

A alimentação saudável, rica em antioxidantes, nos ajuda a preservar a saúde do corpo a nível celular. O estresse oxidativo e radicais livres que desestabilizam as nossas células a longo prazo são combatidos por antioxidantes. E se você pode incluir isso através da alimentação mais natural e variada, sua saúde será muito beneficiada!

Puxa! Mas eu me alimento bem e ainda desenvolvi Câncer de Próstata!

Nosso organismo já tenta eliminar células anormais para preservar o nosso corpo, mas nem sempre isso é possível. O câncer é uma doença complexa e certos casos são hereditários, embora os hábitos saudáveis contribuam sim para diminuição de riscos.

Não sinta culpa pelo diagnóstico e busque também auxílio psicoemocional durante o tratamento, cercando-se de pessoas que possam te acolher durante esse processo de tratamento.

 

Plantas para auxiliar na prevenção de Câncer de Próstata

A natureza também te ajuda na prevenção de Câncer de Próstata! Além de muitas opções serem encontradas na alimentação saudável, existem as cápsulas para deixar tudo mais prático. Confira abaixo:

Óleo de Semente de Abóbora — O Óleo de Abóbora possui altas taxas de compostos antioxidantes tais como Vitamina E, em especial a gama-tocoferol. Além de ajudar na HPB, auxilia na prevenção de Câncer de Próstata. (ver produtos)

Licopeno — O Licopeno é um pigmento natural que confere essa coloração laranja ou avermelhada para vegetais. Sua principal ação é a atividade antioxidante, prevenindo doenças associadas a danos e envelhecimento celular, como doenças degenerativas tipo o câncer. (ver produto)

Quercetina — A Quercetina é um flavonoide encontrado em muitos vegetais com grande capacidade antioxidante, pois se liga e neutraliza os radicais livres, evitando doenças degenerativas, como o câncer. (ver produto)

Resveratrol — O Resveratrol é um polifenol encontrado em certos alimentos, principalmente na uva. Tem diversos impactos positivos na saúde, por exemplo no colesterol, e também atua como antioxidante. (ver produto)

Cúrcuma — A Cúrcuma é muito conhecida por seus benefícios anti-inflamatórios e suas ações antioxidantes também são responsáveis pelo impacto positivo deste tempero na nossa saúde. Estimula também a apoptose em certas linhagens de células cancerosas. (ver produto)

Plantas para auxiliar no tratamento de Câncer de Próstata

Quando já se tem o diagnóstico de câncer, é necessário manter a serenidade para discutir os benefícios e efeitos colaterais de tratamentos com profissionais da saúde. E existem opções na natureza que podem servir de adjuvantes do tratamento, sendo aliados complementares nesta jornada.

Graviola — Há indícios que a Graviola possui atividade citotóxica em células cancerígenas através da substância chamada acetogenina, também observada por inibir metástase e reduzir inflamações. (ver produto)

Crajiru — O Crajiru é um aliado popular no tratamento de câncer, não só o de próstata. Seus benefícios estão relacionados à melhora de níveis de células sanguíneas, que caem durante a quimio ou radioterapia. Além disso, é pesquisada por atenuar os efeitos adversos desses tratamentos e inibir a proliferação de células tumorais, também tendo antioxidantes. (ver produto)

Ipê Roxo — Além dos efeitos analgésicos e anti-inflamatórios, o Ipê Roxo possui um princípio ativo chamado lapachol, responsavel por atividade citotóxica contra células cancerosas, provocando a apoptose delas. Há indícios que também combate a metástase. (ver produto)

Quercetina — A Quercetina já foi citada pelas suas propriedades antioxidantes que podem ajudar na prevenção do desenvolvimento de câncer, mas também vem mostrando capacidade de inibir a proliferação de células cancerosas. Também pode auxiliar no bem-estar durante o tratamento. (ver produto)

Astragalus — O Astragalus serve para aumentar a resposta imunológica e favorecer a nossa reação ao estresse, podendo ser utilizado como adjuvante em tratamentos de quimioterapia. Além disso, os flavonoides dele possuem ações antioxidantes e anti-inflamatórias. (ver produto)

Unha de Gato — A Unha de Gato é conhecida por sua atividade imunoestimulante e anti-inflamatória! E também serve de adjuvante no tratamento de câncer por sua capacidade de conter a proliferação de células cancerosas, induzindo a apoptose. (ver produto)

Cogumelo do Sol (Agaricus blazei) — O Cogumelo do Sol é indicado pela redução de efeitos colaterais de quimioterapia em pacientes, aumentando seu bem-estar durante o tratamento. Seus componentes também são pesquisados por inibir a proliferação de células cancerosas e por ativar a resposta imunológica do corpo. (ver produto)

Chlorella — Além das propriedades nutricionais da Chlorella que contribuem para a sua saúde, por exemplo as vitaminas e minerais, essa alga unicelular melhora a resposta imunológica e o bem-estar durante tratamento de quimioterapia. (ver produto)

Vamos ressaltar que todo caso de câncer deve ser avaliado e tratado por médicos oncologistas. Tudo o que o paciente for ingerir neste período de tratamento precisa de uma avaliação médica.

 

Diferenças e Semelhanças entre Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) e Câncer de Próstata

Já passamos por vários pontos nesse informativo e agora vamos resumir alguns pontos para você se lembrar bem:

Faixa etária mais afetada por HPB: A partir de 40 anos de idade

Faixa etária mais afetada por Câncer de Próstata: A partir de 65 anos de idade

Sintomas de HPB: Desconfortos urinários, esvaziamento incompleto da bexiga e vontade frequente de urinar.

Sintomas de Câncer de Próstata: Geralmente assintomático até estágios avançados

Fatores de risco de HPB: Idade, predisposição genética, alterações hormonais, hábitos não-saudáveis, obesidade, diabetes.

Fatores de risco de Câncer de Próstata: Idade, predisposição genética, alterações hormonais, hábitos não-saudáveis, obesidade, diabetes.

Diagnóstico de HPB: Principalmente toque retal, dosagem de PSA, ultrassonografia, exames de urina, uréia e sangue.

Diagnóstico de Câncer de Próstata: Principalmente toque retal, dosagem de PSA, ultrassonografia e biópsia.

Tratamento de HPB: Cirurgia, medicamentos para diminuir a próstata e tratar infecção urinária (se houver).

Tratamento de Câncer de Próstata: Cirurgia, radioterapia, quimioterapia e hormonioterapia.

Para facilitar a comparação, fizemos uma tabela resumindo essas diferenças:

Entende porque é importante se cuidar? O toque retal e a dosagem de PSA são feitos nas duas doenças, ajudando a equipe médica a avaliar se trata-se de um caso ou de outro.

Ufa! Foram muitas informações e esperamos que todas sejam úteis para você cuidar melhor da sua saúde, pois nosso zelo com o corpo deve se estender durante o ano inteiro! Sua saúde e bem-estar são muito importantes. Procure o apoio de profissionais da área da saúde para uma avaliação completa e cuide da sua saúde com muito zelo, sabendo que você também pode contar com o auxílio da Oficina de Ervas!

E se sobrou alguma dúvida, você pode falar com nossos fitoterapeutas, clicando aqui.

 

Bibliografia

ADHIKARI, A.; BHANDARI, S.; PANDEY, D. P. Anti-inflammatory Compounds Camphor and Methylsalicylate from Traditionally Used Pain Curing Plant Equisetum arvense L. Journal of Nepal Chemical Society, [S. l.], v. 40, p. 1-4, 2019. Disponível em: https://www.nepjol.info/index.php/JNCS/article/view/27270. Acesso em: 13 out. 2022.

ANDRIOLE, Gerald L. Hiperplasia prostática benigna (HPB). Manual MSD: Versão Saúde para a Família, 2020. Disponível em: https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/problemas-de-saúde-masculina/distúrbios-benignos-da-próstata/hiperplasia-prostática-benigna-hpb. Acesso em: 10 de out. de 2022.

ANDRIOLE, Gerald L. Hiperplasia prostática benigna. Manual MSD: Versão Saúde para Profissionais de Saúde, 2020. Disponível em: https://www.msdmanuals.com/pt-br/profissional/distúrbios-geniturinários/doença-prostática-benigna/hiperplasia-prostática-benigna-hpb. Acesso em: 10 de out. de 2022.

BARBOSA, Kiriaque Barra Ferreira et al. Estresse oxidativo: conceito, implicações e fatores modulatórios. Revista de Nutrição, v. 23, n.4, agos. 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rn/a/Fvg4wkYjZPgsFs95f4chVjx/?lang=pt. Acesso em: 10 de out. de 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Coordenação de Prevenção e Vigilância - CONPREV. Câncer de Próstata: consenso. Rio de Janeiro: INCA, 2002. p. 20. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/inca/manual_prostata.pdf Acesso em: 10 de out. de 2022.

CAUSAS do Câncer de próstata. Oncoguia, 2020. Disponível em: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/causas-do-cancer-de-prostata/5851/1130/. Acesso em: 10 de out. de 2022.

C NCER, neoplasia e tumor são coisas diferentes. Dr Breno Gusmão, 2020. Disponível em: https://www.drbrenogusmao.com.br/destaque/cancer-neoplasia-e-tumor-sao-coisas-diferentes// . Acesso em: 10 de out. de 2022.

C NCER. Organização Pan-Americana de Saúde, 2020. Disponível em: https://www.paho.org/pt/topicos/cancer . Acesso em: 10 de out. de 2022.

C NCER: por que eu?. Revista Abrale, 2018. Disponível em: https://revista.abrale.org.br/cancer-por-que-eu/ . Acesso em: 10 de out. de 2022.

CAMARGO, Hélio Amâncio. Sobrediagnóstico, sobretratamento, sobreintervenção. Revista Brasileira de Mastologia, v. 24, n.1, p.1-3, 2014. Disponível em: https://www.mastology.org/wp-content/uploads/2015/06/MAS_v24n1_1-3.pdf . Acesso em: 10 de out. de 2022

CARNEIRO, Danilo Maciel et al. Equisetum arvense: New Evidences Supports Medical use in Daily Clinic. Pharmacognosy Reviews, v. 13, n. 26, p.50-58, dez. 2019. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/338282848_Equisetum_arvense_New_Evidences_Supports_Medical_use_in_Daily_Clinic. Acesso em: 10 de out. de 2022.

CARVALHO-SALLES, Andréa B. TAJARA, Eloiza Helena. Fatores hormonais e genéticos na próstata normal e neoplásica. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia e Metabologia, v.43, n.3, jun. 1999. Disponível em: https://www.scielo.br/j/abem/a/frPLDcfMFYWCyQH5Rd9cVQF/?lang=pt . Acesso em: 10 de out. de 2022. .

COMO é feito o diagnóstico de câncer de próstata?. Laboratório Gilles, 2019. Disponível em: https://www.laboratoriogilles.com.br/como-e-feito-o-diagnostico-de-cancer-de-prostata/ . Acesso em: 10 de out. de 2022.

DETECÇÃO precoce de câncer de próstata. Oncoguia, 2020. Disponível em: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/deteccao-precoce-do-cancer-de-prostata/5855/289/ . Acesso em: 10 de out. de 2022

EDWARDS, Sarah E. et al. Phytopharmacy: An Evidence-Based Guide to Herbal Medicinal Products. EUA: Willey-Blackwell, 432 p. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=KGu5BgAAQBAJ&oi=fnd&pg=PA216&dq=horsetail+prostate&ots=Z7CAJtQHSX&sig=ikdI6vSDkCbMQ2hHRikmXQ9XJzw#v=onepage&q=horsetail%20prostate&f=false . Acesso em: 13 out. 2022.

FERNANDES, Joyce. Hiperplasia Prostática Benigna e Câncer de Próstata: qual a diferença?. Jaleko Artmed, 2020. Disponível em: https://blog.jaleko.com.br/hiperplasia-prostatica-benigna-e-cancer-de-prostata-qual-a-diferenca/ . Acesso em: 10 de out. de 2022.

GALE, Robert Peter. Defesas contra o câncer. Manual MSD: Versão Saúde para a Família, 2020. Disponível em: https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/câncer/considerações-gerais-sobre-o-câncer/defesas-contra-o-câncer . Acesso em: 10 de out. de 2022.

GEOVANA, Nicole. Quais os sintomas de câncer de próstata?. Médico Responde. Disponível em: https://medicoresponde.com.br/quais-os-sintomas-de-cancer-de-prostata/ . Acesso em: 10 de out. de 2022.

HIPERPLASIA prostática benigna e a obesidade: relação e características desses problemas. Eduardo Leze. Disponível em: https://eduardoleze.com/hiperplasia-protastica-benigna-e-a-obesidade/ . Acesso em: 10 de out. de 2022.

IWAMOTO, Leilate Hespporte et al. Anticancer and Anti-Inflammatory Activities of a Standardized Dichloromethane Extract from Piper umbellatum L. Leaves. Evidence-based Complementary and Alternative Medicine, v.2015, 2015. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/25713595/ . Acesso em: 10 de out. de 2022.

LIMA, Hudson de. LORENZETTI, Fabio. Hiperplasia Prostática Benigna. In: FILHO, Miguel Zerati; JÚNIOR, Archimedes Nardozza; REIS, Rodolfo Borges dos. Urologia Fundamental. 1. ed. São Paulo: Planmark, 2010. p. 195-204. Disponível em: https://sbu-sp.org.br/admin/upload/os1688-completo-urologiafundamental-09-09-10.pdf . Acesso em: 10 de out. de 2022.

MALUF, Dr. Fernando. Câncer de Próstata. Vencer o Câncer, 2022. Disponível em: https://vencerocancer.org.br/tipos-de-cancer/cancer-de-prostata-tipos-de-cancer/cancer-de-prostata-tratamento-9/ .Acesso em: 10 de out. de 2022.

NEM todo tumor é câncer. Roche Farmacêutica. Disponível em: https://www.roche.com.br/pt/farmaceutica/areas_terapeuticas/oncologia/imunoterapia/nem-todo-tumor-e-cancer.html . Acesso em: 10 de out. de 2022.

NETO, Dr. Roberto Franco do Amaral. O que todo homem deve saber sobre Hiperplasia Prostática Benigna (HPB). Dr. Roberto Franco do Amaral, 2020. Disponível em: https://www.robertofrancodoamaral.com.br/blog/o-que-todo-homem-deve-saber-sobre-hiperplasia-prostatica-benigna-hpb/ . Acesso em: 10 de out. de 2022.

PINHEIRO, Endy Silva et al. Diagnósticos de hiperplasia benigna e câncer de próstata em um Município do Sudoeste Goiano: análise de 20 anos. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v.7, n.1, p.3963-3974 jan. 2021. Disponível em: https://brazilianjournals.com/ojs/index.php/BRJD/article/view/22975 . Acesso em: 10 de out. de 2022.

PIRES, Marco Túlio. Os efeitos da radioatividade no corpo humano. Veja, 2011. Disponível em: https://veja.abril.com.br/saude/os-efeitos-da-radioatividade-no-corpo-humano . Acesso em: 10 de out. de 2022.

POTON, André. Câncer de próstata: quando e como tratar?. Jaleko Artmed, 2018. Disponível em: https://blog.jaleko.com.br/cancer-de-prostata-quando-e-como-tratar/ . Acesso em: 10 de out. de 2022.

REBELATTO, José Rubens et al. Antioxidantes, Atividade Física e Estresse Oxidativo em Mulheres Idosas. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. v. 14, n. 1, fev. 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbme/a/DpxQC3bZZfYswMVZTfHYG4m/?format=pdf&lang=pt . Acesso em: 10 de out. de 2022.

REIS, Rodolfo Borges dos. CASSINI, Marcelo Ferreira. Antígeno Prostático Específico (PSA). In: FILHO, Miguel Zerati; JÚNIOR, Archimedes Nardozza; REIS, Rodolfo Borges dos. Urologia Fundamental. 1. ed. São Paulo: Planmark, 2010. p. 189-194. Disponível em: https://sbu-sp.org.br/admin/upload/os1688-completo-urologiafundamental-09-09-10.pdf . Acesso em: 10 de out. de 2022.

ROMANELLI, Pedro. Câncer de próstata: quando e como tratar?. Urocirurgia, 2018. Disponível em: https://urocirurgia.com.br/cancer-de-prostata-e-hiperplasia-prostatica-qual-a-diferenca/ . Acesso em: 10 de out. de 2022.

STEENKAMP, Vanessa. Phytomedicines for the prostate. Fitoterapia, v.74, n.6, p. 545-552, set. 2003. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0367326X03001552 . Acesso em: 13 de out. de 2022.

SILVA, Dr Rogério Augusto Pinto da. Causas do câncer de próstata: você sabe quais são as possíveis. CEU Diagnósticos. Disponível em: https://www.clinicaceu.com.br/blog/causas-do-cancer-de-prostata-voce-sabe-quais-sao-as-possiveis/ . Acesso em: 10 de out. de 2022.

SOARES, Vilhena. O câncer sem controle: diagnóstico em pessoas com hábitos saudáveis intriga leigos e médicos. Uai, 2017. Disponível em: https://www.uai.com.br/app/noticia/saude/2017/03/27/noticias-saude,204082/o-cancer-sem-controle-diagnostico-em-pessoas-com-habitos-saudaveis-in.shtml . Acesso em: 10 de out. de 2022.

TOQUE retal (exame de toque). Drauzio Varella. Disponível em: https://drauziovarella.uol.com.br/ambulatorio/exames/toque-retal-exame-de-toque/ . Acesso em: 10 de out. de 2022.

VEJA como se prevenir da próstata aumentada. Exame, 2013. Disponível em: https://exame.com/casual/veja-como-se-cuidar-contra-o-cancer-de-prostata/ . Acesso em: 10 de out. de 2022.

Deixe seu comentário

Escreva seu nome compelto (ex. Jane Miller)

Comentários

Veja o comentário de outros usuários e deixe o seu comentário também!

• Cid Neto
Sou muito grato a reportagem, a qual me trouxe algum conhecimento destas enfermidades tão comuns que nos acometem quando iniciamos a maior idade
⇒ Oficina de Ervas: Olá, Cid Ficamos felizes em saber que nosso informativo foi importante para você. Qualquer dúvida, entre em contato com nossos fitoterapeutas pelo link abaixo: https://www.oficinadeervas.com.br/fale-fitoterapeuta Estamos à disposição.


Artigo Dilênia ou Maçã de Elefante? Entenda os benefícios do uso medicinal dessa planta! 16 Jul 2024 Informativo A rinite atacou? Entenda os sintomas e como a fitoterapia pode ajudar! 04 Jul 2024 Artigo Margaridão, Titônia ou Mão-de-deus? Entenda os benefícios! 28 Jun 2024 Artigo Capim-limão: benefícios e uso na aromaterapia 25 Jun 2024 Informativo Cirrose e Hepatite: é a mesma coisa? Cuide do fígado de forma mais natural 04 Jun 2024 Artigo Eucalipto: benefícios e propriedades medicinais 29 Mai 2024

Ver Outros Conteúdos