Pneumonia: entenda o que é, quais os sintomas e como se prevenir

O assunto de hoje é uma doença que muitas pessoas conhecem, já tiveram ou sabem de alguém que teve: a pneumonia. Existem várias causas que podem levar uma pessoa a desenvolvê-la. Muitas vezes uma simples gripe pode evoluir para a doença, mas essa não é a única forma de contraí-la.

A pneumonia é uma das principais causas de hospitalização no Brasil e no mundo, mas pode ser facilmente curada quando diagnosticada e tratada da forma correta. Neste texto, vamos explicar melhor o que é, como é feito o diagnóstico e qual o tratamento para essa doença tão comum.

Vamos aprender mais sobre esse assunto?

 

Pneumonia em números

Mae medindo febre da filha

Antes de explicar o que de fato é a pneumonia, vamos observar alguns números para mostrar como é importante conhecer a doença e por que a prevenção é fundamental. Veja abaixo as estatísticas da pneumonia:

  • Cerca de 1,2 milhão de crianças morrem todo ano no mundo por causa da pneumonia.
  • 99% desse 1,2 milhão de óbitos infantis são registrados em países em desenvolvimento como o Brasil.
  • É a principal causa de morte de crianças com até 5 anos de idade.
  • Mais de 2.000 crianças morrem por dia em decorrência da pneumonia no mundo todo.
  • É a 2ª doença respiratória mais comum no Brasil.
  • Entre janeiro e agosto de 2018, mais de 400.000 pacientes foram hospitalizados por pneumonia no Brasil.
  • De 2015 a 2017, cerca de 200 mil pessoas morreram por pneumonia no Brasil.
  • 80% dessas mortes foram de idosos.
  • Mais de 50% das internações hospitalares por pneumonia no país são de crianças ou pessoas acima de 50 anos.

Os dados sobre a pneumonia infantil e em idosos merecem atenção e iremos explicar o que acontece nessas faixas etárias mais adiante quando tratarmos de fatores de risco que podem levar à pneumonia. Primeiramente, vamos entender melhor o que realmente é essa doença.

 

O que é pneumonia?

A pneumonia é um processo inflamatório que atinge os pulmões e pode ser causada por algum micro-organismos e substâncias como:

  • Bactérias;
  • Vírus;
  • Fungos;
  • Substâncias tóxicas;
  • Reações alérgicas.

Ela pode se apresentar de forma mais amena ou mais severa, chegando a ser fatal em alguns casos.

A gravidade depende de diversos fatores como sua causa, a idade e a condição do sistema imunológico da pessoa. Ela acomete a região dos alvéolos pulmonares (pequenas bolsas parecidas com cachos de uvas que ficam dentro dos pulmões) e, às vezes, os interstícios, isto é, os espaços entre um alvéolo e outro.

A maioria dos casos de pneumonia é causada por dois tipos de bactéria: 

  • Pneumococo (Streptococcus pneumoniae)
  • Hemophilus (Haemophilus influenzae)

O vírus da varicela (conhecida como catapora) e o da gripe também são potenciais causadores da doença.

 

Pneumonia e gripe

Mulher doente tomando cha

A pneumonia é a complicação mais importante da gripe e é a principal causa de internação e morte por gripe. Isso explica o maior número de hospitalizações por pneumonia durante os meses de outono e inverno.

Nessa época do ano, a gripe se torna mais disseminada entre a população. As quedas bruscas de temperaturas fazem as pessoas ficarem em ambientes mais fechados e aglomerados, tornando-as mais suscetíveis ao contágio por vírus e bactérias presentes no ar, na saliva ou em outros tipos de secreção corporal.

Além disso, a baixa temperatura compromete o funcionamento dos pelos do nariz que ajudam a filtrar o ar respirado. Com o comprometimento dos mecanismos de defesa do sistema respiratório, a pessoa fica mais vulnerável aos micro-organismos que podem causar a pneumonia. Por isso, é comum algumas pessoas desenvolvê-la após uma gripe.

 

Pneumonia causada por substâncias tóxicas

É verdade que a pneumonia também pode ser causada por substâncias tóxicas. Nesses casos, fumaça, agrotóxicos ou outros produtos químicos inalados podem ir para o pulmão e inflamar os alvéolos, provocando uma pneumonia química.

Em geral, a pneumonia causada por vírus ou bactérias afeta apenas uma parte do pulmão. Já a pneumonia química pode comprometer o órgão todo, evoluindo, em alguns casos, para um cenário mais grave.

 

Pneumonia é contagiosa?

Muitas pessoas têm dúvidas se a pneumonia é contagiosa. Mas saiba que a transmissão dessa doença não é comum. Em geral, o paciente não contagia outras pessoas saudáveis.

O mais comum é a pessoa se contaminar pela entrada acidental de bactérias no pulmão provenientes da infecção em outros lugares do corpo, como consequência grave de uma gripe, resfriado ou até de um engasgamento.

 

Princípio de pneumonia: Isso existe?

Muitas pessoas falam em princípio de pneumonia, mas esse conceito não existe. A pneumonia acontece quando os micro-organismos citados chegam aos alvéolos.

Se o micro-organismo chega apenas até a traqueia e aos brônquios, gerando inflamação, gera uma condição chamada de traqueobronquite, que as pessoas erroneamente chamam de princípio de pneumonia.

A traqueobronquite é uma inflamação que pode gerar sintomas como tosse, rouquidão e dificuldade para respirar. Isso ocorre por conta do excesso de muco que estreita os brônquios e dificulta o funcionamento do sistema respiratório.

 

Tipos de pneumonia

Existem três tipos de pneumonias que dependem de como o paciente se infectou. Essa categorização é importante, pois influencia na forma como a doença deve se desenvolver (com chances de ser mais ou menos grave), nos resultados do processo inflamatório e também no tratamento. Conheça os três tipos:

  • Pneumonia adquirida na sociedade: Ocorre quando a pessoa se infecta durante sua rotina habitual.
  • Pneumonia hospitalar: Ocorre quando a pessoa se infecta no hospital.
  • Pneumonia associada à ventilação mecânica: Ocorre quando um paciente entubado na UTI desenvolve a doença.

 

Fatores de risco da pneumonia

Fator de risco é qualquer situação que aumente a probabilidade de uma doença ocorrer ou de agravar a saúde do paciente. Eles tornam a pessoa mais suscetível a desenvolver pneumonia ou casos mais graves da doença. Conheça abaixo os principais:

  • Fumo: Provoca inflamações no pulmão que facilitam a penetração de agentes infecciosos.
  • Álcool: Interfere na capacidade de defesa do sistema respiratório e no sistema imunológico.
  • Ar-condicionado: Por deixar o ar muito seco, facilitando a infecção por vírus e bactérias.
  • Resfriados mal cuidados: O resfriado, quando não cuidado corretamente, pode servir de porta de entrada para complicações como a pneumonia.
  • Mudanças bruscas de temperatura: Prejudicam os mecanismos de defesa do sistema respiratório deixando-o vulnerável à entrada de micro-organismos infecciosos.

Além disso, existem outros fatores que podem aumentar a gravidade da pneumonia. Crianças ou pessoas com mais de 50 anos, por exemplo, tendem a ter a imunidade mais baixa. Por isso, pacientes nessas faixas etárias têm mais riscos ao apresentar quadro de pneumonia.

Contudo, não é verdade que a pneumonia afeta apenas crianças, idosos e pessoas doentes. Ter um sistema imunológico mais debilitado de fato as tornam mais vulneráveis, porém a pneumonia afeta pessoas saudáveis e de todas as idades.

 

Principais sintomas da pneumonia

Mulher tossindo no cotovelo

Como saber se está com pneumonia? Alguns sintomas podem indicar que a pessoa está com a doença. Os principais deles são:

  • Tosse (ela pode ser seca, sem a produção de catarro, ou produtiva, com a produção de catarro. Neste último caso, o catarro pode se assemelhar ao muco nasal ou ser purulento e até com sangue);
  • Febre alta (acima de 37,5°C);
  • Dor no peito (especialmente se ela piora com movimentos respiratórios como respirar fundo);
  • Falta de ar ou dificuldade para respirar;
  • Mal-estar generalizado;
  • Prostração (fraqueza);
  • Suores intensos (principalmente à noite);
  • Náuseas e vômito.

Nos casos de pneumonia causada por substâncias tóxicas, também podem aparecer sintomas como:

  • Desorientação;
  • Irritação no nariz, olhos, lábios, boca e garganta.

E, nos casos mais graves, o tratamento é baseado na administração de oxigênio por meio da respiração artificial.

No entanto, alguns sintomas podem ser parecidos com sintomas da gripe ou de outras doenças. No caso da gripe, a principal diferença é o tempo de duração. Se eles persistirem por mais de três ou quatro dias, aumentam as chances de a pessoa estar com pneumonia. Em todo caso, é importante estar atento ao desenvolvimento da doença e contar com um profissional de saúde de sua confiança.

Quando o paciente é criança ou idoso, a atenção deve ser ainda maior. E existem sintomas adicionais que podem aparecer em pacientes nessas faixas etárias como veremos abaixo.

 

Sintomas de pneumonia infantil

Além dos sintomas já citados, crianças com pneumonia bacteriana podem apresentar:

  • Respiração acelerada;
  • Respiração ruidosa;
  • Perda de apetite e recusa alimentar;
  • Dor abdominal.

 

Sintomas de pneumonia em idosos

Se o paciente é um idoso saudável, ele costuma apresentar os sintomas clássicos. Mas a associação com outros problemas de saúde pode levar a manifestações comportamentais como:

  • Confusão mental;
  • Perda de memória;
  • Desorientação em relação a tempo e espaço.

 

Pneumonia: Como é feito o diagnóstico e o tratamento

O diagnóstico da pneumonia é feito a partir de alguns recursos essenciais como:

  • Exame clínico;
  • Auscultação dos pulmões;
  • Radiografia de tórax.

Com base nos sintomas relatados pelo paciente e o exame clínico, o médico irá pedir um raio-x que mostrará se há alterações nos pulmões compatíveis com o diagnóstico da doença. Em algumas situações, o médico também pede exames de sangue.

Medico analisando raio x de pneumonia

Cuidados e tratamentos

Existem tratamentos variados para a pneumonia e eles dependem do micro-organismo que causou a doença.

No caso da pneumonia bacteriana, o tratamento é baseado no uso de antibióticos. Se a pneumonia é causada por vírus, o tratamento é feito a partir de medicamentos que aliviam os sintomas como febre e dor, mas em casos mais graves o médico pode receitar medicamentos antivirais. Já nas pneumonias causadas por fungos são usados medicamentos específicos.

Na maioria das vezes, o paciente pode ser tratado em casa. No entanto, é importante saber que, se não tratada, a pneumonia pode evoluir para um caso mais grave, necessitando de internação e podendo levar à morte.

Nos casos mais leves (tratados em casa) é recomendado que o paciente beba bastante líquido e descanse, além de tomar os medicamentos receitados. Já no hospital, o tratamento pode incluir:

  • Administração de antibióticos por via intravenosa;
  • Cuidados especiais de hidratação;
  • Administração de oxigênio;
  • Administração de broncodilatadores;
  • Fisioterapia respiratória.

 

Como se prevenir da pneumonia?

Existem várias formas de se prevenir contra a pneumonia e reduzir as chances de desenvolvê-la. Uma das principais é a vacinação anual contra a gripe e também a vacina contra a pneumonia.

Neste caso, existe a população prioritária para receber a vacina, por ter mais probabilidade de desenvolver a doença ou, ainda, de desenvolver formas mais graves dela. Veja quais são:

  • Idosos;
  • Crianças;
  • Portadores de doenças crônicas;
  • Pessoas com deficiência no sistema imunológico (como portadores de HIV);
  • Residentes em lares de idosos;
  • Cuidadores de crianças;
  • Profissionais de saúde;
  • Gestantes;
  • Indígenas;
  • População carcerária;
  • Tabagistas;
  • Pessoas com asma.

A vacina evita que a pessoa desenvolva a doença e, em caso de contágio, essa imunização reduz a intensidade dos sintomas e evita suas formas mais graves.

Lavar as maos previne pneumonia

Existem também recomendações simples que podem ajudar na prevenção. Algumas fortalecem o sistema imunológico para protegê-lo contra a doença, outras evitam a entrada de micro-organismos no sistema respiratório. Confira algumas orientações a seguir:

  • Higienizar as mãos adequadamente com sabão ou álcool gel várias vezes ao dia, principalmente, quando estiver em locais com maior risco de exposição como lugares públicos e hospitais.
  • Evitar lugares com muita poluição e fumaça (inclusive a do cigarro);
  • Evitar locais fechados e aglomerações;
  • Evitar ar-condicionado em excesso;
  • Não fumar;
  • Não ingerir bebidas alcoólicas em excesso;
  • Manter uma alimentação saudável;
  • Ter uma rotina adequada de sono;
  • Praticar atividade física;
  • Manter o nariz limpo e hidratado.

Além disso, é importante cobrir a boca ao tossir ou espirrar e, se tiver sintomas de pneumonia, evite o contato próximo com outras pessoas para não disseminar a doença que causou a pneumonia.

 

Plantas que ajudam na pneumonia

É importante lembrar que nenhuma planta cura a pneumonia, pois é uma doença grave. No caso da pneumonia bacteriana, por exemplo, é essencial fazer o tratamento com antibiótico.

Dito isso, a fitoterapia tem o importante papel de ajudar na prevenção e no fortalecimento do sistema imunológico para o corpo combatê-la, além de amenizar aqueles sintomas tão incômodos. Confira algumas plantas que podem ajudar:

Alho: ação antibiótica, antiviral e fortalecedora do sistema imunológico. (ver produto)

Astragalus: ação imunoestimulante, anti-inflamatória, antibacteriana e antiviral. (ver produto)

Cúrcuma: ação antibiótica e fortalecedora do sistema imunológico. (ver produto)

Equinácea: ação antibiótica e fortalecedora do sistema imunológico. (ver produto)

Gengibre: ação antitussígena (contra a tosse) e fortalecedora do sistema imunológico. (ver produto)

Sucupira: ação febrífuga (contra a febre), anti-inflamatória e expectorante (ajuda a soltar o muco dos pulmões). (ver produto)

Unha de Gato: ação analgésica, anti-inflamatória e fortalecedora do sistema imunológico. (ver produto)

Agrião: ação expectorante, antiasmática e antitussígena. (ver produto)

Coco: ação antiviral. (ver produto)

Guaco: ação expectorante e broncodilatadora (ajudando a dilatar os brônquios e reduzindo a falta de ar). (ver produto)

Sabugueiro: ação contra a febre e tosse. (ver produto)

Óleo de Copaíba: ação expectorante, podendo ser tomado ou passado no peito. (ver produto)

Eucalipto: ação contra problemas respiratórios, podendo ser tomado em chá e tintura, ou usado em inalações na forma de óleo essencial. (ver produto)

 

O que mais pode ajudar?

Própolis: apesar de não ser uma planta, o própolis é um ótimo aliado para fortalecer a imunidade e possui ação antibiótica e antiviral. (ver produto)

São muitas as formas de se prevenir contra a pneumonia. Cuide-se, mantenha-se saudável e sempre conte com a Oficina de Ervas!

E aí? Achou interessante?

Esperamos que esse informativo tenha te ajudado. E, se tiver outras dúvidas, fale com um de nossos fitoterapeutas clicando aqui.

 

Referências:

https://www.einstein.br/pages/doenca.aspx?eid=246

https://vidasaudavel.einstein.br/pneumonia-principais-informacoes/

http://hospitalsaomatheus.com.br/blog/pneumonia-sintomas-fatores-de-risco-e-como-tratar/

http://www.unimed.coop.br/pct/index.jsp?cd_canal=49146&cd_secao=49140&doenca=68146

https://www.hospitalsiriolibanes.org.br/sua-saude/Paginas/pmeumonia-mitos-verdades.aspx

http://bvs.saude.gov.br/ultimas-noticias/3085-12-11-dia-mundial-da-pneumonia

https://www.anahp.com.br/noticias/noticias-do-mercado/mais-de-80-das-mortes-por-pneumonia-no-pais-sao-de-idosos/

https://noticias.r7.com/saude/mais-de-80-das-mortes-por-pneumonia-no-pais-sao-de-idosos-11062019

Comentários


  • Ana Paula Laurita Carvalho
    Nossa meu filho tem 15 anos ele ja teve pneumonia
    ⇒ Oficina de Ervas: Oi Ana Paula. Pois é, essa doença é mais comum do que imaginamos. Por isso é importante manter o sistema imunológico sempre equilibrado. Qualquer dúvida, estamos à disposição.
  • Enio
    Esqueceram de mencionar que em idosos nem sempre dá febre.
    ⇒ Oficina de Ervas: Olá Enio. É verdade, existem casos em que a pessoa não apresenta o quadro febril, e apesar de não ser uma característica comum, é muito perigoso, pois pode atrasar o diagnóstico. Agradeço por sua colaboração.
  • CARMEM LÚCIA BESSA DE CASTRO
    Gostei muito das informações.
    ⇒ Oficina de Ervas: Olá Carmem. Fico feliz que tenha gostado de nosso informativo. Estamos sempre à disposição.
  • Jacira
    Gostei das explicações mas são tantas como escolher ?
    ⇒ Oficina de Ervas: Oi Jacira. Você pode entrar em contato com nossos fitoterapeutas e passar o seu caso para que possamos escolher o melhor tratamento. Estamos à disposição.
  • Katia
    Amei o conteúdo da matéria vamos nos prevenir ainda mais nessa época Obrigada
    ⇒ Oficina de Ervas: Olá Katia. Agradecemos seu comentário,ficamos muito felizes com seu retorno. Abraços.
  • sad
    Interessante , esclarecedora e ajudou muito principalmente na prevenção. Obrigada
    ⇒ Oficina de Ervas: Oi Sad. Realmente a prevenção é o melhor caminho para se ter saúde. Fico feliz que tenha gostado de nosso informativo. Estamos sempre à disposição. Abraços.
  • AMELIA
    Maravilhosa explanação e esclarecedor
    ⇒ Oficina de Ervas: Oi Amélia. Fico feliz que tenha gostado do informativo. Estamos sempre à disposição para qualquer dúvida. Agadeço pelo comentário. Abraços.
  • Geraldo Fabio
    Informativo de extrema relevância e importância para os dias atuais. Muito obrigado.
    ⇒ Oficina de Ervas: Oi Geraldo. Que bom que você gostou do nosso informativo. Agradeço por seu comentário e estamos sempre à disposição. Abraços.
  • Rosa
    Tenho 67 anos diabética o que posso tomar pra me prevenir não ter pneilumonia?as vzs que tive nunca tive febre.
    ⇒ Oficina de Ervas: Oi Rosa. É importante prevenir com produtos que aumentem a sua imunidade, como a Equinácea e Unha de Gato. Também tem o própolis que é um antibiótico natural. Caso queira conversar sobre como fazer o uso desses produtos, você pode entrar em contato direto com nossos fitoterapeutas. Nosso email é farmacia@oficinadeervas.com.br. Estamos à disposição.
  • Maria francisca carneiro
    Estou diagnosticada com pneumonia mas não tenho febre não tenho falta de ar nem cansaço a única coisa que me deixa péssima é muita dor nas costa. Ah,e também não tenho tosse seca nem com catarro, e isso está me deixando muito angustiada.
    ⇒ Oficina de Ervas: Olá Maria. No seu caso o tratamento é feito com antibióticos e acompanhamento médico, pois apesar de não apresentar os sintomas comuns, trata-se de um problema que precisa ser cuidado com urgência e atenção. É importante aumentar sua imunidade e pode ser usada a Equinácea e o própolis como um antibiótico natural, mesmo fazendo um tratamento com seu médico. Qualquer dúvida, entre em contato com nossos fitoterapeutas. Estamos à disposição para orientar.

Deixe seu comentário sobre:
Pneumonia: entenda o que é, quais os sintomas e como se prevenir