PRÓPOLIS: Para que serve e quais as propriedades?

A própolis é um subproduto apícola e serve para diversos benefícios à saúde. Ela possui ação antisséptica e antibiótica natural. Por isso, é utilizada no tratamento de infecções na garganta, resfriados e gripes.

A própolis também pode ser usada de forma externa em picadas de insetos, acnes e pequenos ferimentos, pois tem ação anti-inflamatória e cicatrizante. Além disso, a própolis tem várias outras propriedades benéficas para a saúde.

Leia também: Dicas para fortalecer seu sistema imunológico

O que é própolis?

Própolis é um produto oriundo de substâncias resinosas, gomosas e balsâmicas, colhidas pelas abelhas de brotos, flores e exsudados de plantas, nas quais as abelhas acrescentam secreções salivares, cera e pólen para elaboração final do produto. A própolis é constituída de resinas vegetais, cera de abelha, pólen e óleos essenciais.

Segundo Wagner Rodrigues Santos, presidente da Sociedade Brasileira de Apiterapia, dentre os tipos de própolis, a mais comum é a própolis verde, originada do alecrim do campo (Baccharis dracunculifolia).

A própolis bruta encontra-se em estado sólido. É dura a 15°C e maleável a partir dos 30°C. Suas propriedades físicas como cor, odor e faixa de fusão (60°-70°C) variam de uma amostra para outra.

Devido à grande diversidade de espécies vegetais brasileiras visitadas pelas abelhas, existe uma elevada variação nos princípios ativos da própolis. Sua composição química é extremamente complexa.

Para que serve própolis? Indicações e ação farmacológica

A própolis tem propriedades que produzem efeitos contra bactérias, fungos, vírus, protozoários, além de outras atividades farmacológicas. Confira abaixo:

Atividade antibacteriana

A própolis apresenta uma atividade antibacteriana mais pronunciada contra linhagens de bactérias Gram-positivas.

Atividade antifúngica: Própolis para candidíase

Em um estudo com pacientes acometidos por candidíase oral — uma doença causada pelo fungo Candida albicans —, pesquisadores observaram uma regressão da lesão causada por esse patógeno muito similar à regressão observada quando se utiliza a nistatina. Segundo o estudo, pode ser interessante, no tratamento, o uso da própolis para candidíase.

Atividade antiviral: Própolis para gripe

Em estudos realizados, pesquisadores observaram que os extratos apresentam atividade antiviral na reprodução do vírus da Influenza A e B, do vírus da vaccinia, do vírus da doença de Newcastle e atua em infecções causadas pelo Rhinovírus devido aos seus constituintes, especialmente, os flavonoides.

Atividade antiprotozoário: Própolis para doença de Chagas

Em um trabalho com extratos de própolis, Marcucci e colaboradores conseguiram isolar quatro compostos com atividade antiprotozoária que foram ativos contra Tripanossoma cruzi, o causador da doença de Chagas.

Atividade anti-inflamatória: Própolis para sinusite e dor de garganta

Dentre as várias propriedades da própolis já descritas, foi observada também a atividade anti-inflamatória atribuída à presença de flavonoides, especialmente a galangina. Por isso, pode-se utilizar a própolis para dor de garganta em forma de xarope ou spray bucal. Pode-se também usar a própolis para sinusite em forma de spray nasal. Além disso, pode-se usar a própolis verde para gastrite, uma inflamação na mucosa interna do estômago.

Sinusite: Conheça os sintomas, causas e plantas que podem ajudar

Atividade antimutagênica 

A substância isolada propolina apresentou potencial terapêutico contra células de câncer do pulmão. A própolis também tem atividade anticâncer devido à artepelina C, que possui citotoxicidade seletiva no melanona e glioblastoma. A fração oleosa de extratos de própolis apresenta potencial citotóxico ao glioblastoma, contra carcinoma de cólon e carcinoma de mama.

Atividade antioxidante

Além dos polifenóis, a própolis contém uma extensa gama de outros compostos com a propriedade de remover radicais livres em excesso de nosso organismo e assim, protegendo contra doenças como: doenças cardiovasculares; doenças reumáticas; doenças neurológicas; doenças psiquiátricas; envelhecimento precoce; neoplasias; osteoporose; diabetes e inflamação.

Leia também: Polifenois previnem o câncer e o envelhecimento precoce

Outras atividades farmacológicas

Em estudos com resultados promissores para tratamento da asma, modulação do crescimento tumoral em modelos experimentais. Atividade da própolis no sistema imunológico (aumentando a atividade lítica contra células tumorais, ativando macrófagos, estimulando anticorpos, etc.) Atividade cicatrizante, uso no combate a problemas dentários como formação de placa bacteriana dental, prevenindo e/ou controlando as cáries, a gengivite, problemas periodontais e/ou infecções causadas por diferentes agentes patogênicos, sem os transtornos do manchamento intenso dentário acarretado pelo uso prolongado da clorexidina.

Toxicologia e alergia: Quem não pode tomar própolis

Vários estudos indicam que a própolis apresenta baixa toxicidade inata, o que já era de se esperar, pois os flavonoides, seus principais constituintes, apresentam uma toxicidade muito baixa.

Estudos realizados na Rússia apontam que geralmente as pessoas alérgicas a picadas de abelhas também são alérgicas ao uso ou à aplicação de própolis, mel, geleia real e pólen.

A partir da revisão, não foi encontrado para a própolis brasileira nenhum estudo que aponte qualquer de seus componentes como agente alergênico.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

Nome popular: Abelha

Família: Apoidea

Parte Utilizada: Resina

Composição Química: Resinas vegetais e bálsamos: 50%; cera de abelha: 30%; óleos essenciais: 10%; grãos de pólen: 5%. Além disso, flavonoides, vitaminas, enzimas e minerais (alumínio, cálcio, estrôncio, ferro, magnésio, silício, titânio, bromo e zinco).

Dosagem e Modo de Usar

Uso interno

Extrato Seco: 200 a 1.000 mg ao dia. Ingerir as cápsulas de preferência em jejum.

Extrato Alcoólico: 25 a 50 gotas até três vezes ao dia.

 

Bibliografia 

http://www.biologico.sp.gov.br/uploads/docs/arq/V72_3/menezes.PDF

15805-Texto do artigo-64073-1-10-20110929.pdf

http://florien.com.br/wp-content/uploads/2016/06/PR%C3%93POLIS.pdf

MARCUCCI, M.C. Propolis: chemical composition, biological properties and therapeutic activity. Apidologie, v.26,p.83-99, 1995.

Deixe seu comentário

Escreva seu nome compelto (ex. Jane Miller)

Comentários

Veja o comentário de outros usuários e deixe o seu comentário também!

• Maria Helena de Araújo
Extrato seco são as cápsulas e extrato alcoólico as gotas? O que significa a inscrição P/V que encontro em algumas embalagens? Obrigada.
⇒ Oficina de Ervas: Olá, Maria Helena Clique no link abaixo para ler nosso informativo que explica didaticamente sobre as formas farmacêuticas que trabalhamos: https://www.oficinadeervas.com.br/conteudo/formas-farmaceuticas-na-fitoterapia-o-que-sao-e-como-usar "p/V" trata-se de uma relação entre as grandezas "peso" e "volume". Para mais informações clique no link abaixo e fale com nossos fitoterpaeutas: https://www.oficinadeervas.com.br/fale-fitoterapeuta Estamos à disposição.


• Hilda Thereza da Silva Soares
não sabia dos benefícios desse produto, vou começar a utilizar
⇒ Oficina de Ervas: Olá, Hilda O Própolis é realmente um produto muito benéfico para a nossa saúde. https://www.oficinadeervas.com.br/propolis Caso você queira alguma informação ou orientação, entre em contato com nossos fitoterapeutas pelo link baixo: https://www.oficinadeervas.com.br/fale-fitoterapeuta Estamos à disposição.


Informativo A rinite atacou? Entenda os sintomas e como a fitoterapia pode ajudar! 04 Jul 2024 Artigo Margaridão, Titônia ou Mão-de-deus? Entenda os benefícios! 28 Jun 2024 Artigo Capim-limão: benefícios e uso na aromaterapia 25 Jun 2024 Informativo Cirrose e Hepatite: é a mesma coisa? Cuide do fígado de forma mais natural 04 Jun 2024 Artigo Eucalipto: benefícios e propriedades medicinais 29 Mai 2024 Artigo Hibisco é bom para quê? Desvende os benefícios! 23 Mai 2024

Ver Outros Conteúdos