O Cranberry é uma fruta diferente de qualquer outra do mundo. Nos Estados 
Unidos ela tem um importante papel nos tradicionais feriados e é símbolo de uma 
vida saudável. Sua história data de centenas de anos, por volta de 1620, quando 
americanos misturavam carne de alce com uma pasta, elaborada com a fruta, para 
conservar o alimento por um longo período. Além disso, também usavam o suco 
vermelho como tinta natural na coloração de tapetes, cobertores e roupas e, ainda, 
acreditavam em suas propriedades anti-sépticas, pois utilizavam o  Cranberry em 
ferimentos causados por flechas venenosas. 
Conta à lenda que os peregrinos serviram  Cranberries no primeiro dia de 
Ação de Graças em Plymouth, juntamente com peru selvagem. Durante a 2ª Guerra 
Mundial, tropas americanas solicitavam em torno de  um milhão de quilos de 
Cranberries desidratadas, por ano, como forma de alimentação saudável para os 
soldados. 
Atualmente o Cranberry é cultivado nos EUA, Canadá, Polônia e Chile. É uma planta rasteira, perene, que pode produzir por até 100 anos, florescendo uma vez ao ano. Após o plantio, a primeira colheita acontece entre o terceiro e o quarto ano. Nesse período, a produtividade é de 4 mil quilos por hectare, mas a boa produção começa a partir do sexto ano, quando a produtividade chega a 30 mil quilos por hectare.
O Cranberry é uma planta nativa da América do Norte que apresenta em sua 
composição antocianidinas, flavonóides, proantocianidinas, taninos condensados e 
ácidos fenólicos, estes componentes podem impedir a adesão de certas bactérias, 
incluindo a Escherichia coli, associada às infecções do trato urinário. As propriedades 
de anti-adesão do Cranberry podem também inibir as bactérias associadas à úlcera 
estomacal. Pesquisas científicas recentes também demonstram que o  Cranberry
contêm quantidades significativas de antioxidantes  e outros fitonutrientes com o 
potencial de impedir danos oxidativos, protegendo o organismo contra doenças cardiovasculares e câncer.  

O Cranberry é uma planta nativa da América do Norte que apresenta em sua composição antocianidinas, flavonóides, proantocianidinas, taninos condensados e ácidos fenólicos. Estes componentes podem impedir a adesão de certas bactérias, incluindo a Escherichia coli, associada às infecções do trato urinário. As propriedades de anti-adesão do Cranberry podem também inibir as bactérias associadas à úlcera estomacal. Pesquisas científicas recentes também demonstram que o  Cranberry contêm quantidades significativas de antioxidantes  e outros fitonutrientes com o potencial de impedir danos oxidativos, protegendo o organismo contra doenças cardiovasculares e câncer.  

Nos Estados Unidos ela tem um importante papel nos tradicionais feriados e é símbolo de uma vida saudável. Sua história data de centenas de anos, por volta de 1620, quando americanos misturavam carne de alce com uma pasta, elaborada com a fruta, para conservar o alimento por um longo período. Além disso, também usavam o suco vermelho como tinta natural na coloração de tapetes, cobertores e roupas e, ainda, acreditavam em suas propriedades anti-sépticas, pois utilizavam o  Cranberry em ferimentos causados por flechas venenosas. 

Conta a lenda que os peregrinos serviram  Cranberries no primeiro dia de Ação de Graças em Plymouth, juntamente com peru selvagem. Durante a 2ª Guerra Mundial, tropas americanas solicitavam em torno de um milhão de quilos de Cranberries desidratadas, por ano, como forma de alimentação saudável para os soldados. 

Atualmente o Cranberry é cultivado nos EUA, Canadá, Polônia e Chile. É uma planta rasteira, perene, que pode produzir por até 100 anos, florescendo uma vez ao ano. Após o plantio, a primeira colheita acontece entre o terceiro e o quarto ano. Nesse período, a produtividade é de 4 mil quilos por hectare, mas a boa produção começa a partir do sexto ano, quando a produtividade chega a 30 mil quilos por hectare.

No Brasil o Cranberry pode ser encontrado na forma de fruta desidratada, sucos ou o extrato seco preparado em cápsulas para fins terapêuticos.

 

Por: Eliza Tomoe Harada

Deixe seu comentário

Escreva seu nome compelto (ex. Jane Miller)

Comentários

Veja o comentário de outros usuários e deixe o seu comentário também!

• Cleosi
Faço uso do granberry como fruta desidratada, agora em comprimido muito bom
⇒ Oficina de Ervas: Olá, Cleosi Ao tomar em cápsula de extrato seco, além de ser mais prática, é uma concentração conhecida que atinge uma dose mais eficiente. Clique no link abaixo para ver mais informações do Cranberry: https://www.oficinadeervas.com.br/cranberry Qualquer dúvida, entre em contato com nossos fitoterapeutas pelo link abaixo: https://www.oficinadeervas.com.br/fale-fitoterapeuta Estamos à disposição.


Artigo Dilênia ou Maçã de Elefante? Entenda os benefícios do uso medicinal dessa planta! 16 Jul 2024 Informativo A rinite atacou? Entenda os sintomas e como a fitoterapia pode ajudar! 04 Jul 2024 Artigo Margaridão, Titônia ou Mão-de-deus? Entenda os benefícios! 28 Jun 2024 Artigo Capim-limão: benefícios e uso na aromaterapia 25 Jun 2024 Informativo Cirrose e Hepatite: é a mesma coisa? Cuide do fígado de forma mais natural 04 Jun 2024 Artigo Eucalipto: benefícios e propriedades medicinais 29 Mai 2024

Ver Outros Conteúdos