Camellia sinensis, o chá de sempre.
Conta uma lenda chinesa que no ano 2737 a.C., o imperador Shen Nung descansava sob uma árvore quando algumas folhas caíram em uma vasilha de água que seus servos ferviam para beber. Atraído pelo aroma, Shen Nung provou o líquido e adorou. Nascia aí, o chá. Esta é a lenda que se conta na China para a descoberta da planta Thea sinensis ou Camellia sinensis, como também é conhecida, e o processo de se preparar o chá. O interessante é que o nome chá em português vem do chinês, mudando somente a pronúncia, que é tcha.
A Camelia sinensis pertence à família Theaceae e são utilizadas as folhas e brotos foliáceos na forma de infusão. É essa mesma planta que dá origem ao Chá Verde, Chá Branco, Chá Preto, Chá Vermelho, Banchá e Machá. O que difere um do outro é a forma de colheita e de preparo, resultando em sabores diferentes e propriedades parecidas, com intensidades diferenciadas.
O Chá Verde é o mais conhecido, no entanto o Chá Branco é mais concentrado em princípios ativos. Todos eles possuem propriedades inerentes à Camelia sinensis, como estimulante do sistema nervoso central, tônico geral, preventivo de acidentes vasculares, digestivo, diurético, anti-oxidante, combate radicais livres evitando envelhecimento precoce, estimulante do metabolismo, coadjuvante no tratamento da obesidade, redutora das taxas de lipídeos totais, antiagregante plaquetária.
Pela presença de cafeína, o seu consumo deve ser evitado à noite, para não atrapalhar o sono. O consumo após as refeições é a forma mais indicada, pois facilita a digestão.
Há algum tempo verificaram que pessoas de idade avançada do Japão e China, que possuíam o habito de beber o chá verde diariamente, tinham uma saúde muito melhor do que os que não tomavam. Pesquisas posteriores comprovaram esta incrível capacidade de promover a saúde, evitando o surgimento de inúmeras doenças, o que mais chamou a atenção é sua ação anti-oxidante, evitando o envelhecimento precoce e o surgimento de células cancerosas. 
Com tudo isso, o Chá Verde passou a fazer parte da dieta de muita gente. As pessoas estão despertando para a necessidade de cuidar da saúde de forma preventiva, garantindo assim uma melhor qualidade de vida.
Saúde! Kampai! Salute! Cheers! Santé! Salud!

Conta uma lenda chinesa que no ano 2737 a.C., o imperador Shen Nung descansava sob uma árvore quando algumas folhas caíram em uma vasilha de água que seus servos ferviam para beber. Atraído pelo aroma, Shen Nung provou o líquido e adorou. Nascia aí, o chá. Esta é a lenda que se conta na China para a descoberta da planta Thea sinensis ou Camellia sinensis, como também é conhecida, e o processo de se preparar o chá. O interessante é que o nome chá em português vem do chinês, mudando somente a pronúncia, que é tcha.
                                              
A Camellia sinensis pertence à família Theaceae e são utilizadas as folhas e brotos foliáceos na forma de infusão. É essa mesma planta que dá origem ao Chá Verde, Chá Branco, Chá Preto, Chá Vermelho, Banchá e Machá. O que difere um do outro é a forma de colheita e de preparo, resultando em sabores diferentes e propriedades parecidas, com intensidades diferenciadas.

O Chá Verde é o mais conhecido, no entanto o Chá Branco é mais concentrado em princípios ativos. Todos eles possuem propriedades inerentes à Camelia sinensis, como estimulante do sistema nervoso central, tônico geral, preventivo de acidentes vasculares, digestivo, diurético, anti-oxidante, combate radicais livres evitando envelhecimento precoce, estimulante do metabolismo, coadjuvante no tratamento da obesidade, redutora das taxas de lipídeos totais, antiagregante plaquetária. Pela presença de cafeína, o seu consumo deve ser evitado à noite, para não atrapalhar o sono. O consumo após as refeições é a forma mais indicada, pois facilita a digestão. É muito indicada para dar disposição e energia para quem faz exercícios físicos, pois além de estimulante, ajuda a queimar calorias, por sua ação termogênica.

Há algum tempo verificaram que pessoas de idade avançada do Japão e China, que possuíam o habito de beber o chá verde diariamente, tinham uma saúde muito melhor do que os que não tomavam. Pesquisas posteriores comprovaram esta incrível capacidade de promover a saúde, evitando o surgimento de inúmeras doenças, o que mais chamou a atenção é sua ação anti-oxidante, evitando o envelhecimento precoce e o surgimento de células cancerosas. 

Com tudo isso, o Chá Verde passou a fazer parte da dieta de muita gente. As pessoas estão despertando para a necessidade de cuidar da saúde de forma preventiva, garantindo assim uma melhor qualidade de vida.

Saúde! Kampai! Salute! Cheers! Santé! Salud!

Deixe seu comentário

Escreva seu nome compelto (ex. Jane Miller)

Comentários

Veja o comentário de outros usuários e deixe o seu comentário também!

• Martha Ferretti Muise
Poderia comentar nos efeitos colaterais do cha verde. Ela e citada entre of fitoterapicos hepatotoxicos e tem sido citada recentemente em artigo sobre falencia hepatica apos o seu uso para emagrecer
⇒ Oficina de Ervas: Olá, Martha Reações Adversas Embora raras, já foram relatados casos de: hiperacidez, redução do apetite, náuseas, vômitos, prisão de ventre ou diarreia e irritação do aparelho digestivo, nervosismo, insônia, taquicardia. Precauções/Contra-Indicações Grávidas, crianças, pacientes com gastrite, úlceras gastroduodenais, com sistema cardiovascular debilitado, doenças renais e hipertireoidismo, ansiedade, insônia e taquicardia. Toxicidade Os taninos podem se tornar hepatotóxicos se os chás forem consumidos em excesso por um indivíduo com dano pré-existente do fígado. Por exemplo, uma mulher que consumiu uma quantidade de chá equivalente a 65g de folhas de chá diariamente por cinco anos desenvolveu disfunção do fígado. Porém, a esplenomegalia e ascite se resolveram após retirada do chá. (Martindale, 1989 apud SCHULZ, 2002). Fonte: https://infinitypharma.com.br/wp-content/uploads/2020/05/Ch%C3%A1%20Verde.pdf Para esclarecimento de dúvidas e orientações, clique no link abaixo e fale com nossos fitoterapeutas: https://www.oficinadeervas.com.br/fale-fitoterapeuta Estamos à disposição.


Artigo Dilênia ou Maçã de Elefante? Entenda os benefícios do uso medicinal dessa planta! 16 Jul 2024 Informativo A rinite atacou? Entenda os sintomas e como a fitoterapia pode ajudar! 04 Jul 2024 Artigo Margaridão, Titônia ou Mão-de-deus? Entenda os benefícios! 28 Jun 2024 Artigo Capim-limão: benefícios e uso na aromaterapia 25 Jun 2024 Informativo Cirrose e Hepatite: é a mesma coisa? Cuide do fígado de forma mais natural 04 Jun 2024 Artigo Eucalipto: benefícios e propriedades medicinais 29 Mai 2024

Ver Outros Conteúdos