"Especializada em plantas medicinais."
Parcelamento em até 6X SEM JUROS!

Digite o que procura abaixo
ou entre em contato conosco.

Gordura no fígado tem jeito?

A gordura no fígado acontece, na maioria das vezes, devido à obesidade, mas há outras causas que levam a essa condição que atinge tanta gente. Leia aqui as causas, sintomas e como tratar a teimosa gordura no fígado.

O que é gordura no fígado?

Gordura no figadoTecnicamente chamada de esteatose hepática, a gordura no fígado é uma inflamação causada literalmente pelo acúmulo de gordura dentro do órgão. Pode surgir a partir da obesidade, hepatite, diabetes, síndrome metabólica e excesso de álcool ou anabolizantes.

Cerca de 50% dos pacientes obesos possuem gordura no fígado. Sua incidência é geralmente em pessoas de 40 a 50 anos e, se não tratada, pode evoluir para fibrose, cirrose ou até tumores malignos.

 

Como eu sei que tenho gordura no fígado?

A maioria dos casos não apresentam sintomas, mas quando apresentam, pode haver mal-estar, fadiga e desconforto abdominal. O diagnóstico é dado por exames de ultrassom, tomografia ou ressonância.

Mas como é o tratamento?

Tratamento para Gordura no figadoParar de ingerir álcool é essencial e prioritário. Os tratamentos com medicamentos são feitos apenas quando a gordura no fígado é resultado de outra doença ou condição, como obesidade, diabéticos, etc. Nesses casos, os remédios são indicados para tratar essas doenças no geral, e não somente a gordura no fígado. Quando a esteatose hepática já evoluiu para uma cirrose, pode ser necessário fazer transplante de fígado.

Há, também, plantas que podem ajudar a diminuir a gordura do fígado, caso o paciente não tenha essas outras doenças causadoras ou caso o tratamento deles não esteja fazendo tanto efeito direto no fígado. A planta mais indicada para o caso é o Cardo Mariano (Silimarina), mas há outras que também funcionam, como a Carqueja, Alcachofra, Dente de Leão, Boldo do Chile e Chlorella.

E há prevenção para gordura no fígado?

A prevenção é a mudança no estilo de vida e, com isso, na alimentação. Evitar a ingestão de álcool, manter uma alimentação saudável, controlar o peso do corpo e fazer exercícios com frequência são as ações mais importantes.

Evite ingerir excessivamente gorduras, carnes vermelhas, laticínios, pães gordurosos, bolos, frituras e alimentos industrializados e em conserva.

Para quem está obeso, cuidado com as dietas radicais e fórmulas milagrosas, pois a perda de peso muito rápida pode piorar a esteatose hepática no começo do emagrecimento. O ideal é fazer tudo com equilíbrio, sem extremismos.

Também é muito importante manter os exames de rotina em dia, principalmente depois dos 40 anos, para poder detectar qualquer alteração logo no início.

Está com dúvidas? Fale com o nosso fitoterapeuta clicando aqui.

                    

Outros informativos que podem interessar