Nome Científico: Taraxacum officinalis
Familia: Compositae (Asteraceae)

Histórico e Curiosidades: Seu nome vem do grego e significado "comestível". Também conhecido como chicória silvestre, amargosa, salada-dos-pobres, alface-de-cão entre outros. Planta muito difundida pelo mundo afora, mas parece que sua origem é tido como do norte da Europa. Médicos antigos já utilizavam esta erva, inclusive o próprio Avicena, médico árabe muito famoso na época e muito importante pelos escritos que deixou. No Brasil é encontrada em jardins, em locais onde existem condições favoráveis para sua proliferação, como terra rica, matéria orgânica e umidade. Produz uma flor amarela muito importante como pasto apícola, pois suas flores são muito ricas em néctar.

Botânica: Planta de pequeno porte, anual, se multiplica por sementes ou por divisão de touceiras. Suas folhas são amargas, de bordo invaginante, um pouco latescente, e de verde claro. Suas flores são douradas, e suas sementes possuem uma estrutura que facilita a dispersão pelo vento. Sua raiz é pivotante. Prefere climas amenos a frio.

Cultivo e Colheita: No Brasil não existe cultivo comercial do dente-de-leão, sendo estes cultivos comerciais realizados mais em paises europeus.  O cultivo de uma forma geral tem se mostrado complicado em condições do estado de São Paulo. Semeia-se diretamente no canteiro definitivo ou semeia-se em sementeira e faz-se o transplante. Planta-se preferencialmente em canteiros para facilitar a colheita. Deve-se dar preferencia para semear no canteiro direto ou transplantar no outono em nossa região, pois como prefere clima mais frio, tem-se um crescimento muito melhor. Colhem-se as folhas como se colhe almeirão plantados em canteiros. Quando colher as raízes estas devem ser lavadas e picadas para secar.


Parte Utilizada: Praticamente a planta toda. Preferencialmente colhe-se as folhas primeiro, e depois pode-se colher as raízes se tiver mercado.

Princípios Ativos: Muito rica em sua composição. Possui flavonoides, substâncias amargas (taraxacina, lactopicrina, taraxerina), inulina ( de 1,5 a 3%), taraxacosídeo, substâncias esteroidais (b-sitosterol, estigmasterol), lactonas sesquiterpênicas (folhas), derivados terpênicos (taraxasterol, taraxerol, b-amerina), ácidos (cafeico, clorogênico e cítrico), minerais (principalmente potássio, ferro, silício, magnésio, manganês, cobre, fósforo e zinco), livulina, pectina, saponinas, taninos, ácidos graxos (oléico, linolênico, linoléico, palmítico), resinas, vitaminas (A,B,C,D), endesmanolídeos, carotenóides (taraxantina).
 
Ação Farmacológica e Indicações: No sistema digestório, age como hepatoprotetora, colagoga (aumenta a secreção biliar em até 40%), tratamento das vias biliares, calculose biliar (preventivo e curativo), muito empregada nas hepatites, corrige a hipoacidez gástrica, aftose de repetição, antidiarréica (principalmente nas diarréias agudas infecciosas ou por intolerância a alimentos gordurosos), favorece a eliminação de catabólitos via biliar e por isso considerado um depurativo biliar, discinesia biliar (vesícula preguiçosa), anorexia por atonia digestiva, quadro de cólon irritável e retocolites (alivia a dor, a diarréia e a obstipação). Em dermatoses em geral, como furunculoses, abcessos, erisipela, urticária, psoríase, eczemas crônicos, celulite. Nestes casos pode ser utilizada interna ou externamente. A seiva leitosa serve para casos de verrugas e calosidades. Fortalece o tecido conjuntivo de sustentação e pode ser indicado em casos de artrites reumatoides. Possui ação diurética, preservando o equilíbrio eletrolítico, garantindo a reposição do potássio. Coadjuvante no tratamento das patologias urinárias e tumores da bexiga. Tmabém age como hipoglicemiante no diabete, coadjuvante no tratamento da obesidade, aumenta a excreção e metabolização de ácido úrico e uréia, auxiliar nas dislipidemias (colesterol elevado). Aumenta a produção de leite materno. De forma geral age como desintoxicante, mineralizante, antioxidante, moderada ação antiinflamatória, ação antiviral suave, bactericida (conjuntivites, cistites) e antianêmico.

Efeitos Colaterias: Praticamente não existe contra indicação no uso do dente-de-leão, mas não se recomenda usar em casos de obstrução de vias biliares. Pode provocar hiperacidez gástrica nos pacientes predisponentes, evitar o uso em casos de úlceras gástricas.

Ademar Menes Junior

Deixe seu comentário

Escreva seu nome compelto (ex. Jane Miller)

Comentários

Veja o comentário de outros usuários e deixe o seu comentário também!

• Miriam de Araújo
Vocês falam que NÃO É recomendado em casos de OBSTRUÇÃO DE VUAS BILIARES. É o caso de quem não tem vesícula? A minha vizinha não tem VESICULA, tem 82 anos. Pode tomar? Devo tomar por quanto tempo? Comprei o CHÁ DA KAMPO DE ERVAS
⇒ Oficina de Ervas: Olá, Miriam. Clique no link abaixo e entre em contato com nossos fitoterapeutas para mais orientações. Informe se a senhora tem algum problema de saúde e se faz uso de algum medicamento: https://www.oficinadeervas.com.br/fale-fitoterapeuta Estamos à disposição.


• Neusa
quero comprar dente de leão para tratamento de colesterol e triglicerideos
⇒ Oficina de Ervas: Olá, Neusa Para comprar o Dente de Leão você pode clicar no link abaixo: https://www.oficinadeervas.com.br/dente-de-leao-taraxacum-officinalis Para dúvidas e orientações clique no link abaixo e fale com nossos fitoterapeutas: https://www.oficinadeervas.com.br/fale-fitoterapeuta Estamos à disposição


• Isaias Pereira da Silva
Olá. Posso usar dente de Leão tenho refluxo e estufamento e sempre aparece afta na boca. Obrigado se puder me responder abraço.
⇒ Oficina de Ervas: Olá, Isaias O dente de Leão é um estimulante digestivo, para melhores resultados você pode fazer o uso do extrato fluido da Espinheira Santa e Zedoaria, vão auxiliar no refluxo e nas aftas. Clique no link abaixo para mis informações e adquirir os fitoterápicos mencionados: https://www.oficinadeervas.com.br/espinheira-santa https://www.oficinadeervas.com.br/zedoaria Para dúvidas e orientações clique no link abaixo e fale com nossos fitoterapeutas: https://www.oficinadeervas.com.br/fale-fitoterapeuta Estamos à disposição.


• Gislene
Quem não tem visícula biliar, pode tomar?
⇒ Oficina de Ervas: Olá, Gislene Pode sim fazer o uso do Dente de Leão. Para mais informações e adquirir, clique no link abaixo: https://www.oficinadeervas.com.br/dente-de-leao-taraxacum-officinalis Para maiores orientações clique no link abaixo e fale com nossos fitoterapeutas: https://www.oficinadeervas.com.br/fale-fitoterapeuta Estamos à disposição.


• Célia
Posso misturar chá de folha de graviola com dente de leão?
⇒ Oficina de Ervas: Olá Célia. Pode sim fazer o uso dos dois juntos. Para maiores orientações clique no link abaixo e fale com nossos fitoterapeutas: https://www.oficinadeervas.com.br/fale-fitoterapeuta Estamos à disposição.


Informativo A rinite atacou? Entenda os sintomas e como a fitoterapia pode ajudar! 04 Jul 2024 Artigo Margaridão, Titônia ou Mão-de-deus? Entenda os benefícios! 28 Jun 2024 Artigo Capim-limão: benefícios e uso na aromaterapia 25 Jun 2024 Informativo Cirrose e Hepatite: é a mesma coisa? Cuide do fígado de forma mais natural 04 Jun 2024 Artigo Eucalipto: benefícios e propriedades medicinais 29 Mai 2024 Artigo Hibisco é bom para quê? Desvende os benefícios! 23 Mai 2024

Ver Outros Conteúdos