A Fitoterapia na prevenção e cura de doenças.

 

Quando nos referimos a terapias, sempre imaginamos uma pessoa doente que esteja precisando de tratamento. Por isso, quando falamos de fitoterapia, logo vem à mente um doente que está se tratando com plantas, utilizando um xarope de guaco, uma cápsula de carqueja, uma tintura de pata-de-vaca ou até mesmo uma xícara de chá de capim-limão. Fitoterapia é muito mais que isso.
Na verdade, este conceito bem arraigado é típico de nossa cultura ocidental, que entra com um tratamento quando já estamos debilitados ou já estamos com alguma doença instalada em nosso organismo. O tratamento vem para combater aquele mal ou então fortalecer o organismo. Na forma oriental de pensar a relação corpo e saúde é bem diferente. Procura-se estar em eterno tratamento, não para curar, mas para manter a saúde. Ou será que é mais sábio esperar adoecer para correr atrás do tratamento?
Revisando nosso modo de ser e pensar, vamos então utilizar as plantas medicinais com um outro enfoque, ou seja, como forma de manter nossa saúde. Podemos fazer isso de forma agradável e simples, seguindo o modelo de prevenção que os indianos utilizam há pelo menos 4.000 anos. Se usarmos diariamente as ervas medicinais apropriadas em nossa alimentação, poderemos ao mesmo tempo deixar os pratos mais saborosos e também muito mais saudáveis. Por que será que os pratos da culinária indiana são tão condimentados e picantes? Não é apenas uma questão de paladar, mas uma forma de equilibrar as energias do organismo e assim evitar o surgimento das doenças.
Na Europa medieval, as plantas condimentares eram utilizadas também como medicinais. Em um levantamento mais profundo vamos descobrir que grande parte destas plantas foi primeiro utilizada como medicamento, sendo aplicada como condimento para dar um pouco mais de vida aos alimentos ou até mesmo para conservá-los. Estamos falando aqui de plantas comuns, como alho, cebola, cúrcuma, gengibre, canela, cravo, orégano, manjericão, tomilho, zimbro, funcho, erva-doce, baunilha, pimenta-do-reino e tantas outras. Vamos então aprender um pouco a utilizar estas plantas em nossa alimentação diária, pois além de preparar pratos muito mais saborosos, vamos cuidar da manutenção de nossa saúde. 
Em casos de distúrbios ou doenças já instaladas, a Fitoterapia apresenta muitos recursos e pode auxiliar no tratamento de forma não agressiva e até sem efeitos colaterais. Hoje, com o auxílio de pesquisas e pelo interesse econômico, muitas plantas usadas por nossos antepassados empiricamente, já apresentam comprovações científicas. Além disso, muitas outras estão sendo descobertas como medicamento ou como fonte para cosmecêuticos na área de beleza e estética.
O Reino vegetal é realmente uma grande fonte de saúde e de cura, que deve ser respeitado e utilizado com sabedoria.
Por: Ademar Menezes Junior

Quando nos referimos a terapias, sempre imaginamos uma pessoa doente que esteja precisando de tratamento. Por isso, quando falamos de fitoterapia, logo vem à mente um doente que está se tratando com plantas, utilizando um xarope de guaco, uma cápsula de carqueja, uma tintura de pata-de-vaca ou até mesmo uma xícara de chá de capim-limão. Fitoterapia é muito mais que isso.

naturologia chá verde 1 echinacea xarope

Na verdade, este conceito bem arraigado é típico de nossa cultura ocidental, que entra com um tratamento quando já estamos debilitados ou já estamos com alguma doença instalada em nosso organismo. O tratamento vem para combater aquele mal ou então fortalecer o organismo. Na forma oriental de pensar a relação corpo e saúde é bem diferente. Procura-se estar em eterno tratamento, não para curar, mas para manter a saúde. Ou será que é mais sábio esperar adoecer para correr atrás do tratamento?

Revisando nosso modo de ser e pensar, vamos então utilizar as plantas medicinais com um outro enfoque, ou seja, como forma de manter nossa saúde. Podemos fazer isso de forma agradável e simples, seguindo o modelo de prevenção que os indianos utilizam há pelo menos 4.000 anos. Se usarmos diariamente as ervas medicinais apropriadas em nossa alimentação, poderemos ao mesmo tempo deixar os pratos mais saborosos e também muito mais saudáveis. Por que será que os pratos da culinária indiana são tão condimentados e picantes? Não é apenas uma questão de paladar, mas uma forma de equilibrar as energias do organismo e assim evitar o surgimento das doenças.

Na Europa medieval, as plantas condimentares eram utilizadas também como medicinais. Em um levantamento mais profundo vamos descobrir que grande parte destas plantas foi primeiro utilizada como medicamento, sendo aplicada como condimento para dar um pouco mais de vida aos alimentos ou até mesmo para conservá-los. Estamos falando aqui de plantas comuns, como alho, cebola, cúrcuma, gengibre, canela, cravo, orégano, manjericão, tomilho, zimbro, funcho, erva-doce, baunilha, pimenta-do-reino e tantas outras. Vamos então aprender um pouco a utilizar estas plantas em nossa alimentação diária, pois além de preparar pratos muito mais saborosos, vamos cuidar da manutenção de nossa saúde. 

 cartamo semente hibisco - sepalas

Em casos de distúrbios ou doenças já instaladas, a Fitoterapia apresenta muitos recursos e pode auxiliar no tratamento de forma não agressiva e até sem efeitos colaterais. Hoje, com o auxílio de pesquisas e pelo interesse econômico, muitas plantas usadas por nossos antepassados empiricamente, já apresentam comprovações científicas. Além disso, muitas outras estão sendo descobertas como medicamento ou como fonte para cosmecêuticos na área de beleza e estética.

O Reino vegetal é realmente uma grande fonte de saúde e de cura, que deve ser respeitado e utilizado com sabedoria.

Por: Ademar Menezes Junior

Espaço Oficina de Ervas
R. Gildo Ignácio, 300
Nova Ribeirânia
Ribeirão Preto SP
Tel. (16) 2133-4477
E-mail: espaco@oficinadeervas.com.br 

Comentários


  • Kinda m
    Sofrendo de vírus herpes é uma experiência terrível porque me disseram que não tem cura a boa notícia estou feliz compartilhando agora é o grande poder por trás de medicação à base de plantas eu fui diagnosticado de vírus de herpes no ano de 2014 e em 2016 eu comecei a ter surtos e tornou-se mais terrível para mim nua, Uma manhã feliz me deparei com um comentário no blog postado por um homem chamado Thompson sobre como ele foi curado de herpes simplex vírus tipo 2 com a medicação à base de plantas de (Dr.onoja), que é um especialista em curar todos tipos de vírus std e doença crônica com ervas, eu imediatamente copiei o seu e-mail de contato que foi [EDITADO] e eu explico todos os meus problemas para ele, ele foi muito honesto comigo e também manteve sua promessa de obter me curou com suas ervas se eu seguir as prescrições que ele dá junto com a medicação que eu fiz exatamente como ele prescreveu, para Deus ser a glória Meu vírus herpes simplex que eu sofri foi curado em apenas 2 semanas depois de completar a dose de seu ervas cura. Mais uma vez muito obrigado senhor para restaurar a minha saúde de volta e mais especialmente a minha pele. Por favor, para qualquer um que tenha algum problema de saúde, deve enviar-lhe um e-mail no email fornecido acima de [EDITADO] para mais informações, dê a ele uma chance e veja o que ele pode fazer. ligar ou whatsapp [EDITADO]
    ⇒ Oficina de Ervas: Olá Kinda. É muito bom saber que você conseguiu sua cura usando as plantas medicinais. Realmente, a natureza oferece benefícios que a medicina convencional ainda não tem conhecimento. Parabéns e muito obrigada pelo seu depoimento.

Deixe seu comentário sobre:
A Fitoterapia na prevenção e cura de doenças.