"Novidade na Oficina de Ervas
Parcelamento em 6X SEM JUROS no cartão!"

Digite o que procura abaixo
ou entre em contato conosco.

Óleo de Linhaça

 

Linhaça (Linum usitatissimum)
Família: Linaceae
Parte Utilizada: Semente (Óleo)
A Linhaça é uma das mais antigas plantas cultivadas, e que cresce ao redor do mundo em muitas variedades e formas, cultivada por sua fibra e óleo. Os principais componentes do Óleo de Linhaça são os ácidos graxos da família Ômega-3, e também os da família Ômega-6, com seus respectivos precursores e derivados, além das lignanas e mucilagem.
Constituintes 
Cada 100 mg de Óleo de Linhaça contêm aproximadamente: 
Ácido Palmítico 6,5 % 
Ácido Palmitoléico 0.1 % 
Ácido Margárico 0,1 % 
Ácido Esteárico 5,4 % 
Ácido Oléico 20,1%
Ácido Linoléico 14,0% 
Ácido Araquídico 0,2 % 
Ácido Gama Linolênico 0,3 % 
Ácido Alfa Linolênico 53,1% 
Ácido Behênico 0,3 %
Propriedades Funcionais:
O óleo de linhaça possui os ácidos graxos ômega-6 e ômega-3 em uma proporção que é considerada a ideal pela maioria dos pesquisadores, sendo altamente indicado para o reequilíbrio das proporções entre os dois grupos de ácidos graxos ômega. O óleo de linhaça contém entre 50 e 60 % de ômega-3 (ácido linolênico) e entre 14% e 20% de ômega-6 (ácido linoléico). A suplementação com óleo de linhaça resultou em uma redução na freqüência de ataques de asma e uma redução no uso de medicamentos para a condição. Níveis reduzidos de ácidos graxos ômega-3 são associados ao aumento na incidência de câncer de mama, próstata e cólon. O ômega-3 reduz os triglicérides plasmáticos, a agregação plaquetária, relaxa os vasos sangüíneos e reduz a pressão arterial. Pacientes com artrite reumatóide participaram de um estudo duplo-cego de um ano de duração, no qual receberam 2,6 g de ômega-3 diariamente, e obtiveram significativas melhoras no todo e redução da dor, o que permitiu uma redução correspondente no uso de analgésicos. Os ácidos graxos ômega-3 freqüentemente proporcionam melhoras em anormalidades no metabolismo dos ácidos graxos descobertas em pacientes com psoríase e eczema. A suplementação com óleo de linhaça aumentou a concentração de Ômega-3 nos fosfolipídeos das plaquetas e lipídeos plasmáticos de voluntários vegetarianos masculinos.
O Óleo de Linhaça possui ação funcional:
Na prevenção de doenças cardiovasculares, como hipertensão e infarto; 
Para reduzir os níveis sangüíneos de colesterol e triglicérides; 
Ajuda a manter a pele saudável e fortalece o sistema imune; 
No tratamento da depressão, asma e osteoporose; 
Como auxiliar no tratamento da artrite reumatóide; 
Útil na dieta de vegetarianos.

Linhaça (Linum usitatissimum)

A Linhaça é uma das mais antigas plantas cultivadas, e que cresce ao redor do mundo em muitas variedades e formas, cultivada por sua fibra e óleo. Os principais componentes do Óleo de Linhaça são os ácidos graxos da família Ômega-3, e também os da família Ômega-6, com seus respectivos precursores e derivados, além das lignanas e mucilagem.

Propriedades Funcionais:

O óleo de linhaça possui os ácidos graxos ômega-6 e ômega-3 em uma proporção que é considerada a ideal pela maioria dos pesquisadores, sendo altamente indicado para o reequilíbrio das proporções entre os dois grupos de ácidos graxos ômega. O óleo de linhaça contém entre 50 e 60 % de ômega-3 (ácido linolênico) e entre 14% e 20% de ômega-6 (ácido linoléico). A suplementação com óleo de linhaça resultou em uma redução na freqüência de ataques de asma e uma redução no uso de medicamentos para a condição. Níveis reduzidos de ácidos graxos ômega-3 são associados ao aumento na incidência de câncer de mama, próstata e cólon. O ômega-3 reduz os triglicérides plasmáticos, a agregação plaquetária, relaxa os vasos sangüíneos e reduz a pressão arterial. Pacientes com artrite reumatóide participaram de um estudo duplo-cego de um ano de duração, no qual receberam 2,6 g de ômega-3 diariamente, e obtiveram significativas melhoras no todo e redução da dor, o que permitiu uma redução correspondente no uso de analgésicos. Os ácidos graxos ômega-3 freqüentemente proporcionam melhoras em anormalidades no metabolismo dos ácidos graxos descobertas em pacientes com psoríase e eczema. A suplementação com óleo de linhaça aumentou a concentração de Ômega-3 nos fosfolipídeos das plaquetas e lipídeos plasmáticos de voluntários vegetarianos masculinos.

A linhaça possui propriedades funcionais. Seus componentes ativos são as lignanas que podem prevenir e controlar câncer como o de mama e pulmão. Ela é considerada a fonte

rica de precursores de lignana de mamíferos (THOMPSON et al., 1991).

Entre os principais óleos extraídos de sementes, o óleo de linhaça contém o maior conteúdo (57%) do ácido graxo ômega-3, um ácido a-linolênico. As pesquisas atuais, todavia,

têm se concentrado mais especificamente nos compostos associados a fibras conhecidos como lignanas. As duas lignanas primárias de mamíferos, enterodiol e seu produto oxidado, enterolactona são formadas no trato intestinal pela ação bacteriana sobre precursores da lignana vegetal.

A lignana nada mais é que uma das quatro famílias dos polifenóis.

O termo polifenóis ou compostos fenólicos refere-se a um amplo e numeroso grupo de moléculas encontradas em hortaliças, frutas, cereais, chás, café, cacau, vinho, suco de frutas e soja.

O Óleo de Linhaça possui ação funcional:

Na prevenção de doenças cardiovasculares, como hipertensão e infarto; Para reduzir os níveis sangüíneos de colesterol e triglicérides; Ajuda a manter a pele saudável e fortalece o sistema imune; No tratamento da depressão, asma e osteoporose; Como auxiliar no tratamento da artrite reumatóide; Útil na dieta de vegetarianos.

      

 

Outros Produtos Naturais