"A sua saúde em equilíbrio com a natureza."
Parcelamento em até 6X SEM JUROS!

Digite o que procura abaixo
ou entre em contato conosco.

Você já se perguntou se você trabalha muito?

 

workaholic. Talvez uma nova expressão seja mais adequada à sua personalidade: worklover!
Qual a diferença entre os dois termos? O worklover, além de trabalhar muito, descansa muito bem, adora se divertir, vive com intensidade e tem vínculos afetivos fortes. Ele trabalha muito porque adora o que faz.
O workaholic não consegue descansar porque geralmente vive preocupado. Quando está viajando não consegue se desligar do trabalho porque não sabe se divertir, não consegue fazer amizades e muito menos criar vínculos amorosos.
SAIBA MAIS
Você sabe para onde vai?
Você quer crescer?
O sucesso é construído à noite
O workaholic pode até casar, mas não curte se entregar ao amor. Quando tem filhos, não sabe brincar com eles e, pior ainda, fica angustiado quando é divorciado e tem de levar os filhos para as férias: sua vida vira um caos, porque ele não sabe curtir os momentos com as crianças.
No começo das férias o worklover até pode sofrer um pouco para se desligar do trabalho. Mas ele também sofre no final das férias, porque se envolveu com tantas coisas que gosta de fazer que fica difícil se desligar delas. A vida do worklover é cheia de emoções, em tudo o que ele faz.
Se você se identifica com o tipo workaholic, a aproximação das férias é um tempo de ansiedade. Sair do ambiente de trabalho, onde você tem a ilusão de ter controle dos sentimentos, se torna muito assustador. Ter tempo livre com os filhos, a mulher ou a namorada, parece ser algo que você não vai suportar porque não sabe como lidar com isso.
Ah, ainda tem o Natal!... Quando as pessoas se abraçam e se olham com mais intimidade e cumplicidade... Aí sim tudo fica mais complicado.
Se você acha que é um workaholic, o começo de dezembro é um bom momento para começar uma psicoterapia. Olhar para dentro de si mesmo é o primeiro passo para aprender a conviver com as pessoas que importam e curtir a vida.
Não perca tempo adiando soluções importantes. Deixar de ser um workaholic e se tornar um worklover é o melhor presente de final de ano que você pode dar para si próprio e para todos os que você ama.
* Roberto Shinyashiki é palestrante e doutor em administração pela FEA-USP. É também autor dos best-sellers Sem Medo de Vencer; A Revolução dos Campeões; O Sucesso É Ser Feliz; Os Donos do Futuro; Você, a Alma do Negócio; O Poder da Solução; Heróis de Verdade; Tudo ou Nada e Os Segredos dos Campeões

Sempre me questionei sobre esse assunto, pois sempre ouvi de familiares e amigos que eu trabalho demais! Sentia até uma certa pressão, mas sempre amei muito trabalhar! Sinto no trabalho a minha realização, e não deixo de fazer outras coisas fora do trabalho, como encontrar os amigos, ir para festas, viajar, fazer pinturas em cerâmica, costurar, etc.

Bem, buscando um assunto para publicar nesse informativo, sem querer me deparei com um tema que tive a impressão de que foi escrito para mim. Resolvi pubicá-lo, pois creio que essa questão seja muito comum nos dias atuais:

 

WORKAHOLIC, NÃO.  WORKLOVER

Por: Roberto Shinyashiki - 23/11/2012 Revista Época

workaholic. Talvez uma nova expressão seja mais adequada à sua personalidade: worklover!

Qual a diferença entre os dois termos? O worklover, além de trabalhar muito, descansa muito bem, adora se divertir, vive com intensidade e tem vínculos afetivos fortes. Ele trabalha muito porque adora o que faz.

                                       worklover

O workaholic não consegue descansar porque geralmente vive preocupado. Quando está viajando não consegue se desligar do trabalho porque não sabe se divertir, não consegue fazer amizades e muito menos criar vínculos amorosos.

                                   workaholik

O workaholic pode até casar, mas não curte se entregar ao amor. Quando tem filhos, não sabe brincar com eles e, pior ainda, fica angustiado quando é divorciado e tem de levar os filhos para as férias: sua vida vira um caos, porque ele não sabe curtir os momentos com as crianças.

No começo das férias o worklover até pode sofrer um pouco para se desligar do trabalho. Mas ele também sofre no final das férias, porque se envolveu com tantas coisas que gosta de fazer que fica difícil se desligar delas. A vida do worklover é cheia de emoções, em tudo o que ele faz.

Se você se identifica com o tipo workaholic, a aproximação das férias é um tempo de ansiedade. Sair do ambiente de trabalho, onde você tem a ilusão de ter controle dos sentimentos, se torna muito assustador. Ter tempo livre com os filhos, a mulher ou a namorada, parece ser algo que você não vai suportar porque não sabe como lidar com isso.

Ah, ainda tem o Natal!... Quando as pessoas se abraçam e se olham com mais intimidade e cumplicidade... Aí sim tudo fica mais complicado.

Se você acha que é um workaholic, o começo de dezembro é um bom momento para começar uma psicoterapia. Olhar para dentro de si mesmo é o primeiro passo para aprender a conviver com as pessoas que importam e curtir a vida.

Não perca tempo adiando soluções importantes. Deixar de ser um workaholic e se tornar um worklover é o melhor presente de final de ano que você pode dar para si próprio e para todos os que você ama.

 

                                                     cheers

Poucos percebem que o grande milagre acontece quando as pessoas conseguem dar início à transformação interior.

(Roberto Shinyashiki)

A FAMÍLIA OFICINA DE ERVAS DESEJA A TODOS UM ANO NOVO MUITO FELIZ!

      

Outros informativos que podem interessar