"A sua saúde em equilíbrio com a natureza."
Parcelamento em até 6X SEM JUROS!

Digite o que procura abaixo
ou entre em contato conosco.

O Sonhador

Ademar

O SONHADOR
“Quando encontrar um SONHADOR pelo caminho de sua vida, mate-o.” Frase chocante e muito dura de ser ouvida. Temos uma imagem muito bucólica e até boa do SONHADOR, mas acredito que possamos fazer algumas considerações sobre este perfil de pessoa, dos seus seguidores e o que usar para auxiliar este processo que ao contrário do que muitos imaginam, traz muito sofrimento. Esta frase acima foi dita por Ptolomeu, um dos grandes generais de Alexandre, O Grande. Lembrando um pouco da história, Alexandre era filho de um rei da região da Macedônia, que se não me engano fica ao norte da Grécia. Herdando um reinado perdido entre as montanhas gregas, partiu em uma perseguição alucinada contra o Grande Dario III, imperador da Pérsia. Em sua busca, sonhava sempre em uma unificação entre os povos, para que sob sua proteção, as cidades poderiam estar vivendo somente para o comercio, as artes, a filosofia; e não para as guerras como era até então. Alexandre, após conseguir anexar a Babilônia, continuou sua perseguição, até conseguir encontrar seu inimigo morto. Ma não parando por ai, continuou sua investida contra a Ásia, chegando até a Índia. Durante todos estes anos, seus generais e soldados foram fieis ao seu propósito. Mas, não possuíam a energia, o desejo, o sonho de Alexandre. O que os motivava era somente o desejo de riqueza e a fidelidade ao seu grande rei, Alexandre. No final de sua peregrinação à Índia, por vários momentos seus soldados e generais começaram a discutir com Alexandre, pois para eles já não fazia mais sentido aquelas batalhas. Eles não enxergavam como Alexandre enxergava o mundo. Este sonhador, apesar de ser extremamente agressivo na defesa de seus ideais, de seus sonhos, era um ser muito diferente, muito sensível, muito humano e por incrível que possa parecer desprendido de bens matérias. Era um apaixonado pela vida, pelas pessoas e em particular pelo seu vice-comandante, Heféstion; que o acompanhou por toda sua breve vida. 
Heféstion morreu com uma febre desconhecida, e logo após Alexandre morreu também, sem deixar um responsável pelo seu império. A consequência foi que imediatamente seus generais dividiram todo o império criado até então em vários pequenos reinados. Ptolomeu, ficou responsável pela região do Egito, e deu origem ao que ficou conhecido como Dinastia Ptolomaica. Eram gregos que se transformaram em faraós, e teve como seu último monarca a conhecida Cleópatra. 
Mas por que será que Ptalomeu disse esta frase tão forte que iniciamos nosso texto? Veja que ele foi um grande beneficiário de toda “loucura” de Alexandre, herdou o Egito. Acontece que para acompanhar um sonhador, nós geralmente pagamos um preço muito caro, com certeza o sofrimento que ele passou não foi recompensado pelo reinado que recebeu. Para o sonhador, o que importa muitas vezes não é o dinheiro, mas sim querer ver concretizado seu sonho, por mais impossível que possa parecer, e para isso não mede esforços, não mede dedicação, energia, forças.....e seu seguidores tem que acompanhar....meio que na força....Resultado, sofrimento para os dois lados. Hoje em dia, longe um pouco do período de Alexandre, também temos nossos sonhadores, que querem transformar o mundo, que querem fazer de sua empresa um império, ou que sonham em encontrar e ficar com seu grande amor de vida, e lutam desesperadamente por isso. Bem para diminuir os sofrimentos podemos entrar com algumas indicações. Plantas como a pfaffia, o ginseng e a aswaganda, são estimulantes, energéticos, adaptógenos, que irão dar força ao sonhador e aos colaboradores, mas ao mesmo tempo irão proporcionar “pés nos chão”, irão ajudar a enraizar estes sonhos, facilitando sua execução, sem viajar muito nos devaneios. Podemos entrar também com uma essência de cristal, o Quartzo-Rosa, principalmente para os seguidores, pois eles precisam acreditar em si, que eles também podem seguir e transformar, concretizar não só o sonho do outro, mas como os seus também....o Cristal Fantasma, que irá ajudar a “parir” um projeto que esta sendo gestado....existem um floral, do sistema da califórnia, que é o Rosmarinus, que irá ajudar também a diminuir os sonhos...trazer para o real...encarnar....vir para o aqui e agora....para ajudar a concretizar o que é possível concretizar. Para controlar a ansiedade e os desapontamentos que irão ocorrer, acho que podemos usar as plantas Lippia ou o Maracujá e até mesmo um Hipérico. 
Portanto, acho que não precisaremos ser tão radicais como Ptolomeu foi, pois o que seria do mundo se não fosse os sonhadores, não é mesmo?.... Precisamos só de um certo equilíbrio e é aqui onde entramos como terapeutas para ajudar os dois lados. Sonhe, sonhe e corra de modo equilibrado e sensato para realiza-los. Saudações.
Ademar Menezes Junior
Terapêuta

“Quando encontrar um SONHADOR pelo caminho de sua vida, mate-o.”  Frase chocante e muito dura de ser ouvida, proferida por Ptolomeu.

Temos uma imagem muito bucólica e até boa do SONHADOR, mas acredito que possamos fazer algumas considerações sobre esse perfil de pessoa, dos seus seguidores e o que usar para auxiliar nessa busca, que ao contrário do que muitos imaginam, traz muito sofrimento. Esta frase acima foi dita por Ptolomeu, um dos grandes generais de Alexandre, O Grande.

Lembrando um pouco da história, Alexandre era filho de um rei da região da Macedônia. Herdando um reinado perdido entre as montanhas gregas, partiu em uma perseguição alucinada contra o Grande Dario III, imperador da Pérsia.

Em sua busca, sonhava sempre em uma unificação entre os povos, para que sob sua proteção, as cidades pudessem viver somente para o comércio, as artes, a filosofia; e não para as guerras, como era até então. Alexandre, após conseguir anexar a Babilônia, continuou sua perseguição, até conseguir encontrar seu inimigo morto. Continuou sua investida contra a Ásia, chegando até a Índia. Durante todos esses anos, seus generais e soldados foram fiéis ao seu propósito. Mas, não possuíam a energia, o desejo, o "sonho" de Alexandre. O que os motivava era somente o desejo de riqueza e a fidelidade ao seu grande rei. No final de sua peregrinação à Índia, por vários momentos, seus soldados e generais começaram a discutir com Alexandre, pois para eles já não fazia mais sentido aquelas batalhas. Eles não enxergavam o mundo como Alexandre. Este sonhador, apesar de ser extremamente agressivo na defesa de seus ideais, de seus sonhos, era um ser muito diferente, muito sensível, muito humano, e por incrível que possa parecer, desprendido de bens materiais. Era um apaixonado pela vida, pelas pessoas e em particular pelo seu vice-comandante, Heféstion, que o acompanhou por toda sua breve vida. 

Heféstion morreu com uma febre desconhecida, e logo após Alexandre morreu também, sem deixar um responsável pelo seu império. A consequência foi que imediatamente, seus generais dividiram todo o império criado até então em vários pequenos reinados.

Ptolomeu herdou a região do Egito, e deu origem ao que ficou conhecido como Dinastia Ptolomaica. Eram gregos que se transformaram em faraós, e teve como seu último monarca a conhecida Cleópatra. 

Mas por que será que Ptalomeu disse esta frase tão forte que iniciamos nosso texto? Veja que ele foi um grande beneficiário de toda “loucura” de Alexandre, herdando o Egito!

Acontece que para acompanhar um sonhador, nós geralmente pagamos um preço muito alto. Com certeza, o sofrimento que ele passou não foi recompensado pelo reinado que recebeu.

Para o sonhador, o que importa muitas vezes não é o dinheiro, mas sim querer ver concretizado seu sonho, por mais impossível que possa parecer, e para isso não mede esforços, dedicação e energia. E seus seguidores tem que acompanhar, muitas vezes contra a própria vontade. Resultado: sofrimento para os dois lados.

Hoje em dia, longe um pouco do período de Alexandre, também temos nossos sonhadores, que querem transformar o mundo, que querem fazer de sua empresa um império, ou que sonham em encontrar e ficar com o grande amor da sua vida, e lutam desesperadamente por isso.

Bem, para diminuir os sofrimentos e ajudar nesse processo, existem hoje algumas terapias, florais, plantas e cristais.

Plantas como a Pfaffia, o Ginseng e a Aswaganda, são estimulantes, energéticos, adaptógenos, para dar força ao sonhador e aos colaboradores, mas ao mesmo tempo, proporcionar “pés nos chão”, ajudando a enraizar estes sonhos, facilitando sua execução, sem muitos devaneios.

Existe uma essência de cristal, o Quartzo Rosa, principalmente para os seguidores, pois eles precisam acreditar em si mesmos, acreditar que eles também podem seguir e transformar, concretizando não somente o sonho do outro, mas os seus também. O Cristal Fantasma, que ajuda a “parir” um projeto que está sendo gestado. Também um floral, do sistema da Califórnia, o Rosemary, que ajuda a diminuir os sonhos, trazendo o indivíduo para o real, para o aqui e agora,  possibilitando concretizar o que é possível ser concretizado.

Para controlar a ansiedade, usar plantas como a Lippia, o Maracujá ou o Hipérico, pode ser de grande valia. 

 Portanto, acho que não precisaremos ser tão radicais como Ptolomeu, pois o que seria do mundo se não fossem os sonhadores, não é mesmo? Precisamos apenas de equilíbrio, e é aqui onde podemos auxiliar como terapeutas, ajudando os dois lados.

Sonhe, sonhe e corra de modo equilibrado e sensato para realizá-los.

Saudações.

Ademar Menezes Junior

Terapeuta

             

Outros informativos que podem interessar