"A sua saúde em equilíbrio com a natureza."
Parcelamento em até 6X SEM JUROS!

Digite o que procura abaixo
ou entre em contato conosco.

Sintomas e prevenção dos cálculos renais

Cálculo renal (Pedra nos rins) - Formação, Prevenção e Tratamento

Cálculo RenalQuem já teve a cólica renal, sabe muito bem dos sintomas. Ela é habitualmente uma excruciante dor lombar, que costuma ser a pior dor que o paciente já teve na vida. A cólica renal deixa o paciente inquieto, se mexendo o tempo todo, procurando em vão uma posição que lhe proporcione alívio. Por vezes, a dor é tão intensa que vem acompanhada de náuseas e vômitos. Sangue na urina é frequente e ocorre por lesão direta do cálculo no ureter. Esse sintoma agudo surge quando uma pedra de pelo menos 4 mm (0,4 cm) fica parada em algum ponto do ureter (tubo que leva a urina do rim à bexiga), causando obstrução e dilatação do sistema urinário.

Pedras muito pequenas, menores que 3 milímetros (0,3 cm), podem percorrer todo o sistema urinário e serem eliminadas na urina sem provocar maiores sintomas.

Cálculos maiores que 0,9 cm são grandes demais e não passam pelo sistema urinário, sendo necessária uma intervenção médica para eliminá-los.

Estes cálculos grandes podem ficar parados no ureter, provocando uma obstrução à drenagem da urina e consequente dilatação do rim, a qual damos o nome de hidronefrose. A urina não consegue ultrapassar a obstrução e acaba ficando retida dentro do rim. As hidronefroses graves devem ser corrigidas o quanto antes, pois quanto maior o tempo de obstrução, maiores as chances de lesões irreversíveis do rim obstruído.

Formação do cálculo renal

Os fatores que podem contribuir para a formação do cálculo renal (litíase renal / pedra nos rins) é a herança genética associada aos hábitos de vida da pessoa, baixa ingestão de água, problemas no metabolismo, sedentarismo, alguns medicamentos (corticoides, diuréticos e outros).

O real motivo da formação do cálculo renal é a disfunção metabólica que permite o acúmulo de minerais pelo mau funcionamento do fluxo natural da urina.

Hábitos alimentares podem aumentar a incidência da formação do cálculo renal como por exemplo as dietas ricas em proteínas, açúcares e sal.

A maioria dos casos de cálculo renal ocorre por falta de água para diluir a urina adequadamente, tendo como origem a pouca ingestão de líquidos. Porém, há um grupo de pacientes que mesmo bebendo bastante água ao longo do dia continua a formar pedras. São as pessoas com alterações na composição natural da urina, apresentando excesso de sais minerais, em geral, excesso de cálcio. A quantidade de cálcio na urina é tão grande que mesmo com uma boa ingestão de água, este ainda consegue se precipitar.

Pessoas que vivem em países de clima tropical ou trabalham em locais muitos quentes devem procurar se manter sempre bem hidratadas para evitar a produção de uma urina muito concentrada.

Outros fatores de risco para o surgimento de cálculos são: obesidade, idade acima de 40 anos, hipertensão, gota, diabetes e ganho de peso muito rápido.

Prevenção do cálculo renal

A medida preventiva mais importante é se manter hidratado. Uma dica é acompanhar a cor da urina. Uma urina bem diluída tem odor fraco e coloração bem clara, quase transparente. Se a sua urina está muito amarelada, isto indica desidratação.

Manter uma alimentação saudável, controlando a ingestão de sais, proteínas e açúcares. Fazer exercícios físicos e aumentar os cuidados caso tenha o risco de hereditariedade.

Tratamento Natural para cálculo renal

Existem plantas que podem auxiliar na expulsão da pedra, nos casos em que o mesmo se apresenta menor que 7mm. Podem ser usados na forma de chá, tintura ou cápsula.Evitar pedra nos rins

Folha de abacateiro e Quebra-pedra – Apresentam ação diurética e dilatadora das vias urinárias, facilitando a saída da pedra.

Chapéu de Couro, Panaceia e Cana do brejo – Apresentam ação diurética e antisséptica, evitando a infecção urinária e ajudando na expulsão.

Óleo de Copaíba – Sua ação antisséptica e cicatrizante protege as vias urinárias.

Cranberry – Tem ação protetora das paredes da bexiga, impedindo a adesão de bactérias e usada principalmente em infecções urinárias recorrentes.

Outras plantas como a Uva Ursi e Cipó Cabeludo também são muito usadas como diuréticas.

O melhor remédio é a prevenção. Se nós podemos escutar o que o nosso corpo fala, então para que esperar ele gritar?

Por: Eliza Harada

                    

Outros informativos que podem interessar