"Encontre nas plantas saúde, beleza e harmonia para sua vida."
Parcelamento em até 6X SEM JUROS!

Digite o que procura abaixo
ou entre em contato conosco.

Astragalus, a planta da longevidade.

Astragalus membranaceus é conhecido na China como “Huang-qi”, que significa “líder amarelo”‘. “Huang” significa amarelo, referindo-se ao interior da raiz amarela. “Qi” significa líder, referindo-se a esta erva como um dos tônicos superiores na medicina chinesa.

astragalus mtc

Conta-se que há cerca de 5000 mil anos, somente os membros da família do Imperador é que eram autorizados a fazer uso desta erva. Aqueles que não eram membros, podiam ser condenados a morte caso fossem pegos fazendo uso da Astragalus. Era conhecida como Elixir da Longevidade!

Sabe-se que a raiz do Astrágalo é usada há mais de dois mil anos pelos chineses e é considerada uma das plantas mais importantes e populares para revigorar a energia vital, a promoção da saúde e reforçar o Qi. No Ocidente, começou a ser usada em 1800 na fabricação de vários tônicos, e a goma extraída do Astrágalo (tragacanth) é ainda hoje usada como emulsionante e agente antidiarreico.

astragalus raiz

O Astragalus é também conhecido como ervilhaca de leite, Huang Qi, huang chi, Ogi, hwanggi, bei qi, radix astrágalos, chifre de cabra, dragão verde, Milk Vetch Root, Huang-qi (Yellow Leader), Astragalus root, Chinese Astragalus, Chinese Milkvetch, Huang Qui, Huang-qi, Membranous Milk Vetch, Yellow Vetch.

astragalus flor

Pertence à família Fabaceae e a parte utilizada como fitoterápico são as raízes. Os componentes e princípios ativos: Astragalosídeos, beta-sitosterol, colina, cobre, d-frutose, astramembranagenina, isoastragalosídeos, ácido linoléico, cálcio, magnésio, ferro, sódio, potássio, saponinas, flavonóides, polisacarídeos e glicosídeos.

Mecanismo de ação do Astragalus:

Astragalus é também associado a outras ervas adaptogênicas como o Ginseng promovendo a segurança contra vários fatores estressantes internos e externos. A combinação de Astragalus com Equinácea é comum contra infecções da membrana mucosa.

Embora astrágalo não seja convencionalmente um tratamento para o câncer, ajuda no suporte da função imunológica e na sensação de bem-estar. Deve ser tomado como um preventivo ou em paralelo com o tratamento convencional, como a quimioterapia. A investigação clínica sugere que o astrágalo reduz os efeitos tóxicos da quimioterapia e, ao mesmo tempo, aumenta a função imunológica. A raiz pode ser consumida durante um longo período de tempo para alcançar melhores resultados.

Principais benefícios:

Astrágalo é amplamente usado como um medicamento imunoestimulante para reduzir a incidência do resfriado comum e gripe.

É usado para reforçar a recuperação e reduzir a fadiga. (“deficiência do chi” - força de vida).

De acordo com a prática da MTC (Medicina Tradicional Chinesa), é amplamente utilizado para revigorar e tonificar o Qi e o sangue, e como um importante adaptogeno.

No sistema de uso da MTC, o Astrágalo não deverá ser usado durante os períodos de infecção aguda.

Parece ser bem tolerado, contudo existem diversas interações teóricas (não usar com supressores do sistema imunitário).

O Astragaloside IV (principal componente estudado) melhorou a função pós-isquêmica e melhorou arritmias de corações de ratos in vitro. O Astragalósideo IV também apresentou propriedades de cardioproteção, imuno-estimulantes, anti-inflamatórias, antibacterianas, antivirais, antioxidantes e neuroprotetoras. Também inibe a formação de AGEs (produtos de glicação avançada) implicados nas complicações neuropáticas dos diabéticos, estimula a produção de imunoglobulinas e macrófagos, protege contra a toxicidade das quimioterapias, dentre outros benefícios e propriedades.

O Astrágalo é benéfico para o wei chi, ou seja, a energia vital protetora inerente do corpo.

Contra-indicações do Astrágalo:

Não são conhecidos contra-indicações com o produto. No entanto, devido ao fato de estimular o sistema imunológico, deve ser usado com cuidado por pessoas em terapia imunosupressiva assim como a administração após um transplante de órgão e por aqueles que sofrem de alguma doença autoimune como lúpus.

Por: Eliza Harada

      

Outros informativos que podem interessar