"Encontre nas plantas saúde, beleza e harmonia para sua vida."
Parcelamento em até 6X SEM JUROS!

Digite o que procura abaixo
ou entre em contato conosco.

Ametista, pedra da Paz e Tranquilidade.

 

A ametista foi usada como pedra preciosa pelos antigos egípcios e era amplamente empregue na antiguidade por entalhadores. Contas de ametista foram encontradas em túmulos anglo-saxônicos na Inglaterra.
Estudos recentes mostraram que a coloração da ametista é devida a impurezas férricas. Estudos complementares mostraram ainda que uma interação complexa entre ferro e alumínio é a responsável pela coloração.
A ametista é um mineral amplamente distribuído, mas espécimes bonitos, adequados para uso como pedra preciosa, estão confinados a comparativamente poucos locais. Tais cristais ocorrem tanto em cavidades alongadas (veios) em rochas ígneas, geralmente basaltos como revestindo internamente (geodos) de ágata.
Muitas das ágatas ocas do Brasil e do Uruguai contêm um punhado de cristais de ametista no seu interior. Muitas belas ametistas vêm da Rússia, especialmente de perto de Mursinka no distrito de Ekaterinburg, onde ela ocorre em cavidades existentes em rochas ígneas. Muitas localidades na Índia têm ametista e ela também é encontrada no Sri Lanka, principalmente como seixos rolados.
As jazidas mais importantes estão no Brasil nas cidades de Caetité na Bahia, Chopinzinho no Paraná, Montezuma em Minas Gerais e principalmente Ametista do Sul no Rio Grande do Sul). Neste município, não são raros geodos com mais de 2 metros de altura.
Era frequentemente carregada por soldados nos cabos das lâminas das espadas como um amuleto contra a morte e para trazer a calma e a vitória nas batalhas. É útil para a revelação profética da verdade. Diz-se que fortalece a sabedoria, a fé e a religiosidade e é uma ajuda nas preces e nos sonhos. Diz-se que é um amuleto contra bruxaria, veneno (ela indica a presença de veneno diminuindo sua luz) e pensamentos ruins; é uma ajuda para a castidade, um poder contra todas as formas de super indulgência e uma força para a mente. É usada como um amuleto para favorecer príncipes, dirigentes, clérigos, pessoas ricas, influentes e poderosas, pessoas com habilidades proféticas, poetas, viajantes, publicitários e outros.
Na mitologia grega, Ametista seria o nome de uma ninfa que, para ser protegida do assédio de Dioniso, (Baco, na versão romana), foi transformada pela deusa da castidade num cristal transparente. Baco então nada mais podia fazer, a não ser mergulhá-la no vinho - de onde teria vindo sua coloração arroxeada.
Permite uma sensação de desprendimento, de fé e de coragem.Colabora na compreensão das leis divinas, do universo e da espiritualidade proporcionando a convicção de que nossa vida não se resume apenas no corpo físico, muito menos nas necessidades do ego.Alivia a angústia, a depressão, o pânico, o desespero, até a causa ser resolvida pelo curso da vida ou por um tratamento específico.
Propicia a entrega ao fluxo natural da vida (=humildade).
Ajuda-nos a resgatar a paz, a tranqüilidade e a serenidade proporcionado um sono profundo e reparador e um relaxamento muscular e articular por todo o corpo.
Permite uma melhor assimilação mental por diminuir a ansiedade; promove excelentes benefícios em casos de esgotamento e prostração por excesso de trabalho mental, depois de muitas informações adquiridas, inclusive ajudando a arquivá-las.
Muito indicada em casos de tensão muscular extrema, na dificuldade de relaxar o corpo e a mente.

A ametista foi usada como pedra preciosa pelos antigos egípcios e era amplamente empregada na antiguidade por entalhadores. Contas de ametista foram encontradas em túmulos anglo-saxônicos na Inglaterra.

Até o século XVIII a ametista foi a principal pedra preciosa (sendo até esse momento a Rainha das Pedras Preciosas) até mesmo ao nível do diamante. Contudo a descoberta de abundantes jazidas no Brasil fez com que se tornasse uma pedra preciosa de médio valor.

ametista bruta ametista lapidada ametista joia

Estudos recentes mostraram que a coloração da ametista é devida a impurezas férricas. Estudos complementares mostraram ainda que uma interação complexa entre ferro e alumínio é a responsável pela coloração.

A ametista é um mineral amplamente distribuído, mas espécimes bonitos, adequados para uso como pedra preciosa, estão confinados a comparativamente poucos locais. Tais cristais ocorrem tanto em cavidades alongadas (veios) em rochas ígneas, geralmente basaltos como revestindo internamente (geodos) de ágata.

Muitas das ágatas ocas do Brasil e do Uruguai contêm um punhado de cristais de ametista no seu interior. Muitas belas ametistas vêm da Rússia, especialmente de perto de Mursinka no distrito de Ekaterinburg, onde ela ocorre em cavidades existentes em rochas ígneas. Muitas localidades na Índia têm ametista e ela também é encontrada no Sri Lanka, principalmente como seixos rolados.

As jazidas mais importantes estão no Brasil nas cidades de Caetité na Bahia, Chopinzinho no Paraná, Montezuma em Minas Gerais e principalmente Ametista do Sul no Rio Grande do Sul. Neste município, não são raros geodos com mais de 2 metros de altura.

Era frequentemente carregada por soldados nos cabos das lâminas das espadas como um amuleto contra a morte e para trazer a calma e a vitória nas batalhas. É usada para a revelação profética da verdade. Diz-se que fortalece a sabedoria, a fé e a religiosidade e é uma ajuda nas preces e nos sonhos. Diz-se que é um amuleto contra bruxaria, veneno  e pensamentos ruins; é uma ajuda para a castidade, um poder contra todas as formas de super indulgência e uma força para a mente. É usada como um amuleto para favorecer príncipes, dirigentes, clérigos, pessoas ricas, influentes e poderosas, pessoas com habilidades proféticas, poetas, viajantes, publicitários e outros.

Na mitologia grega, Ametista seria o nome de uma ninfa que, para ser protegida do assédio de Dioniso, (Baco, na versão romana), foi transformada pela deusa da castidade num cristal transparente. Baco então nada mais podia fazer, a não ser mergulhá-la no vinho, de onde teria vindo sua coloração arroxeada.

Usada na forma de essência.

Permite uma sensação de desprendimento, de fé e de coragem.
Colabora na compreensão das leis divinas, do universo e da espiritualidade proporcionando a convicção de que nossa vida não se resume apenas no corpo físico, muito menos nas necessidades do ego.
Alivia a angústia, a depressão, o pânico, o desespero, até a causa ser resolvida pelo curso da vida ou por um tratamento específico.
Propicia a entrega ao fluxo natural da vida (=humildade).
Ajuda-nos a resgatar a paz, a tranqüilidade e a serenidade proporcionado um sono profundo e reparador e um relaxamento muscular e articular por todo o corpo.
Permite uma melhor assimilação mental por diminuir a ansiedade; promove excelentes benefícios em casos de esgotamento e prostração por excesso de trabalho mental, depois de muitas informações adquiridas, inclusive ajudando a arquivá-las.

Muito indicada em casos de tensão muscular extrema, na dificuldade de relaxar o corpo e a mente.

Por: Eliza Tomoe Harada

                    

Outros informativos que podem interessar